segunda-feira, 7 de novembro de 2016

FOI A DOR QUE ME TROUXE GISELLE



by Scorpion

Por mais contraditório que possa parecer,foi a dor que   trouxe Giselle até mim, a dor da sua recente e doida solidão, sua dor de ter sido abandonada  há    oito meses antes da gente ter se encontrado na casa de uma amiga em comum. Sua dor era visível nos seus olhos, nos gestos, no riso desesperado,na forma como bebia sem parar.

Eu fui o único que lhe deu atenção e ouviu a sua história de amor e dedicação,de entrega, também de posse e um pouco mais bebada, comecou a falar
sobre o ex. Comecei a ouvir meio por curiosidade, porque ela era bonita, um pouco por vontade de ouvir uma historia e depois fui me envolvendo.

Giselle admitia que o seu comportamento confundia o rapaz. Ela me disse que era instável: uma hora estava carinhosa e depois ficava com raiva  dele, alternando o seu humor. Além disso ,o ciúme    
 excessivo sufocava o rapaz, a ponto dele querer se separar dela. Ele nao conseguia trabalhar,nem conversar com mulher nenhuma, Giselle era daquelas que ligava sem parar,conferia as roupas, queria controlar tudo.

Giselle relembrando, refazia toda a sua trajetoria de incerteza e  dor, querendo,com certeza, tomar o primeiro retorno.

Mais tarde, me pediu pra leva-la em casa,e,no taxi, com a cabeça pousada no meu peito,deixou a mão cair na minha coxa e me deixou excitado. E naquela madrugada fresca,eu tinha certeza de estar tomando o caminho certo : ela estava bebada,tinha seios lindos e eu estava excitado.

-

Chegamos no predio onde ela morava .  O prédio tinha um elevador antigo, espaçoso,sem cameras,  estavamos sozinhos no elevador  . Ela segurou o meu rosto e me beijou longamente, sua boca era gostosa e sua lingua invadiu minha boca . foi o nosso primeiro beijo.

 Entramos no apartamento e nos beijamos novamente,logo na porta, sem ao menos acender a luz.Na semi obscuridade, ela abriu os botões da minha camisa e beijou o meu peito, tirando a camisa, dizia -" tira isso,tira isso," e  mordiscava meus mamilos ,beijava e mordia meu peito, minha boca. Estava muito gostoso, eu acariciava seus cabelos,ela se esfregava em mim.

- "vem aqui," ela disse, e me guiou, no escuro, pela sala, entre os sofás e a mesa de centro, até um quarto, com uma cama grande e desarrumada. Ela  acendeu o abajur ao lado da cama, tirou os sapatos , e voltamos a nos beijar.

Me olhando nos olhos, beijava a minha boca, chupava,meu queixo, me beijava por todo o peito. Foi se ajoelhando, beijando e mordiscando e chupando minha barriga. Olhou o volume do meu pau, coberto pela calça,alisou, mordeu por cima da roupa, abriu a calça, me olhando nos olhos, com carinha de safada, me ajudou a tirar as calças e repetiu o que havia feito,comigo só de cueca, alisando e mordendo o volume que o pau fazia.

Meio hipnotizado pelo tesão,eu apenas acariciava os cabelos dela. Ela tirou meu pau de dentro da cueca e ficou lambendo a cabeça, aquilo foi me deixando louco,...lambeu,lambeu e foi engolindo devagarinho,até estar todo na boca,. Enquanto isso, chupando bem lentamente, apertava meu saco.  Giselle tirava e colocava o pau na boca e começava a engolir só a cabecinha, me olhando,enquanto me punhetava carinhosamente.

-

Suas mãos eram macias,ficou me punhetando enquanto lambia meu saco e engolia um dos ovoa,sugando,me fazendo gemer. Eu não aguentava mais de tanto tesão,segurei a cabeça dela, fiquei movimentando prá frente e prá trás, num vai e vem gostoso,empurrando o pau até a garganta,sentindo o calor da sua boca,   como se fosse uma buceta. Ela sugava e me olhava, eu queria falar um monte de coisas, mas só urrava de prazer e ela parecia estar gostando,sugando cada vez mais rápido e forte.

De repente, comecei a sentir um friozinho na espinha e meus ovos ficaram contraídos,anunciando que o vulcão ia entrar em erupção. Mas não queria gozar ainda,então a ergui, beijei-a e enquanto beijava,tirei sua blusa e o soutien e comecei a chupar os peitos dela,de mamilos durinhos de tesão, ela pedia prá chupar mais forte e apertava meu rosto contra aqueles seios macios,eu chupava e sugava e ela tirou a saia, a calcinha, e ficou nua prá mim, se oferecendo,  

   Giselle era toda deliciosamente farta : seios grandes, coxas grossas, ombros largos, bundona, e me deparei também com uma buceta enorme, super carnuda,gordinha,apetitosa, comecei a chupar extasiado,separava os lábios e enfiava a língua,bem fundo,estava uma delícia,sentia o sabor daquela bucetona perfumada e úmida, misturado com seu cheiro.de fêmea e comecei a lamber que nem um cachorro e   de vez em quando chupava como se fosse um sorvete e ela suspirava e gemia cada vez mais, puxando meus cabelos.

Eu esfregava os lábios naquela bucetona e lambia..
Ela se contraia mais de uma vez,como se fosse gozar, se esticava, levantava os quadris, depois subitamente ficou de quatro, arrebitadinha, o bundäo bem prá cima, me posicionei e enfiei o pau naquela buceta enorme, facilmente sumiu dentro daquela caverna quentinha e muito molhada.

Comecei o ritmo de vai vem e  a entrar e sair de dentro dela. Ela esfregava o grelo e gemia..- "mais forte, porra ! "..comecei a meter como um louco, enfiava e tirava até a metade e martelava, batia na sua bunda, beijava as suas costas, mordiscava, chupava...-" vai, safaadoo,mais forte, caralho, sem dó..."

Começou a se contorcer, se arrebitar mais prá entrar tudo. Meu saco batia nas suas nadegas e ela se esfregava furiosamente também...eu a apertava pela cintura,apertava seus peitões,mordia os ombros.
- "não goza ainda", ela pediu.."vem, quero te chupar."

-

Sai de dentro dela,ela me olhou,bem safada,me beijou, pegou no meu pau..começou a alisar o meu pau, e enquanto fazia um gostoso vai e vem no meu pinto,apertando numa pressão gostosa, dizia no meu ouvido : - "delícia,quero sentir meu gosto nele."

Me conduziu prá que eu deitasse e começou a chupar, enfiar tudo na boca, com satisfação, chupava e de vez em quando só lambia, ficou mamando no meu pau por um tempo e me olhando. Percebi que se tocava.  Giselle olhou prá mim, com o rostinho avermelhado,os mamilos inchadinhos e se masturbando,se esfregando furiosamente. Enquanto me chupava, enfiava os dedos na buceta, dava prá eu lamber, voltava a se esfregar, gemia,me chupava,me olhava com os olhinhos brilhando..

Então voltou a ficar de quatro, com a bunda prá cima e o rosto encostado no colchão e pediu prá eu enfiar no seu cú : -" no cuzinho,vai, mete no meu cú.."
Segurei o pau duro, enfiei na buceta molhadinha e depois enfiei a cabecinha na entrada do cuzinho de  Giselle, que levantou um pouco mais a bunda e foi engolindo lentamente. O  cuzinho dela era quentinho e apertadinho, eu urrava ,batia na bunda dela, puxava pela cintura , puxava o cabelo dela e ela ficou louca com isso. Falava :" isso, puxa o meu cabelo, me bate, caraaalhooo.. ".e se masturbava loucamente, empinava a bunda, pra vir mais ao meu encontro e entrar mais,

Puxei ela pela cintura e enterrei tudo, até que o saco encostou na bunda dela. Ela acompanhou o meu ritmo , e começou a ir prá frente e prá trás, aumentou o ritmo, me pediu prá foder com mais força e ficou ali, igual uma cadela dando prá um cachorro, enrabada, devorada. Gemia e se masturbava e depois de um tempo metendo no cuzinho e se masturbando, me pediu prá tirar,  me fez ficar de barriga prá cima e veio se deitando por cima de mim, me beijando o pescoço, chupando, me masturbando, chupou novamente o meu pescoço, um chupão forte que até doeu, me beijou novamente, sentou-se sobre minhas coxas, pegou o meu pau com a mãozinha gordinha e macia e direcionou para o meio das suas pernas.

Era como se a gente estivesse começando a meter de novo. Senti a cabeça do pau encostando na xaninha morna e gemi de prazer. Ela forçou e a cabeça entrou na xaninha encharcada. Levantei os quadris prá começar a fode-la de baixo prá cima, entrou mais um pouco, ela começou a se contorcer e desabou de uma vez sobre ele e quando estava tudo dentro dela, praticamente virilha com virilha, ela gemia e tentava forçar prá entrar mais, abria bem as pernas, abriu a bucetona, arreganhou até onde pode e ficou ali, rebolando em cima de mim, me beijava, se masturbava, esfregava o clitóris, dava os peitões pra eu chupar, batia no meu rosto

-

 Giselle parecia louca, xingava e metia como doida, com a vara toda enfiada na buceta, nós dois morrendo de tesão, gemendo, falando um monte de putaria. Uma hora,  contraiu a buceta, e prendeu o meu pau. Apertava, se contraia, se esticava, se esgregava loucamente, batia no meu rosto. Então   deu um grito, parecia que estava apanhando, ...".to gozando,caralho...puta que o pariu..." se esticou, contraiu mais a buceta, apertava e soltava o meu cacete,gemeu um monte de coisas que eu não entendi e gozou...Parei de me movimentar e deixei ela curtir o seu prazer.. Deitou-se em cima de mim e depois saiu de cima de mim, bem devagar.
Sua buceta estava úmida, os lábios da buceta brilhavam. Ela dizia :" delícia, delícia de foda, gozei gostoso". Colocou a mäo no meu pau, e disse, bem no meu ouvido : "goza prá mim".

Deitei-me sobre ela , ficamos nos beijando, enquanto eu sentia o calor da sua buceta, com o meu pau, morrendo de vontade de gozar. Fiquei metendo mais um  pouquinho e logo disse que ia gozar. Ela me mandou tirar da buceta e enfiou o pau na boca..."goza prá mim..".ficou me punhetando e chupando, não aguentei , comecei a gozar, ela pegou meu pau e me fez acabar de esporrar nos seus seios, prendeu meu pau no meio dos peitos e eu gozava e gozava, seu colo ficou todo melado com a minha porra.  Então, Giselle me olhou bem safada, passou o dedo e lambeu, me olhando com   carinha de puta.

Cochilamos, tomamos banho juntos,nos excitando novamente, dormimos abraçadinhos como namorados, fodemos mais um pouco, de madrugada,e dormimos  novamente.

 Acordei tarde,mas antes dela. Preparei café, fui comprar pão e bolo e levei o café prá ela,na cama.
Fiquei surpreso : Giselle reagiu de forma surpreendente. Assim que me viu, me olhou com raiva, começou a me xingar e me mandou embora. Pensei que fosse brincadeira e fiquei confuso e surpreso,quando vi que era verdade. Tentei falar com ela e não adiantou. Xingou, xingou, e quando começou a gritar e me atirar coisas, resolvi ir embora.

Ainda estou tentando entender  porque ela agiu assim,de modo tão irracional. Depois pensei sobre a relação dela com o ex, sobre tudo o que ela me contou.  E a conclusão que cheguei é que....não há conclusão. Não encontrei explicação mesmo...

Foi a sua dor que nos aproximou ,a mesma dor que fez a gente se separar. Vi essa dor na raiva dela. Não encontrei outra explicação mesmo.