sexta-feira, 25 de abril de 2014

FANTASIA DE MARIDO

AUTOR DESCONHECIDO

depois-do-boquete

" Uma das minhas fantasias mais freqiientes é de desejar ver minha esposa manipulando e chupando um grande cacetao, de uns 25 cm, ttendo uma portentosa cabeçorra. ConteiIhe a respeito e convenci-a de participar de uma transa deste tipo. Um anuncio de um rapaz aqui do Rio me levou a um contato com ele. Ele confirmou o seu dote especial e m,arcamos a transa. Pedi que arranjasse um outro colega para, também, participar. Ele iria

cuidar da boceta dela, enquanto minha esposa chupava e punhetava o cacetao. 0 rapaz tinha um apartamento prop:rio para os encontros. Para la fomos no dia mareado. Os dois ja estavam nos esperando. Tinham boa aparencia e deviam estar na faixa dos 25 anos. Louco por açao, eu mesmo despi minha mulher e a deitei no sofa. Fiz questao de "prepara-la" para os rapazes. Abri suas pernas, separei seus pentelhos com os dedos (para deixar bem acessivel a entrada da vagina), e abri seus grandes labios. Sua boceta ja estava umida e pude notar pequenos espasmos, que denotavam seu grau de excitaçao. Comecei a acariciar-1he o clitoris e pedi que os rapazes se posicionassem para o inicio da sessäo. 0 que iria se ocupar da vagina abaixou-se e começou a trabalhar com sua lingua agil, no clitoris ja intumescido. 0 outro posicionou-se proximo ao rosto dela e tirou o short que usava. 0 pau do cara, apesar de ainda nao estar totalmente duro, era de um tamanho descomunal. Quando vi o tamanho da cabeça daquela pica, pressenti que seria muito dificil para minha mulher tomalo na boca. Com as maos, ela tomou o cacetao do rapaz . Começou a acaricia-lo até que ele atingisse suas dimensoes maximas. Em seguida, ela se pos a beijar e a lamber a cabe. çorra. Alternaþ va estas caricias com o movimento de vaivém da punheta. 0 outro cara ~ chupava a boceta dela e lambia seu grelo, cada vez mais sofregamente. Ela demonstrava, pelo olhar, estar fascinada com o grande cacete que tinha em suas maos. Chupava, lambia, punhetava e enchia a boca com a enorme glande. Tirei meu para fora e comecei a tocar uma punheta. Nao poderia ficar assistindo passivamente aquela cena altamente erotica. 0 rapaz que estava chupando a boceta dela, nao resistindo mais, tomou uma atitude que näo estava combinada: tirou o pau, ja latejante, para fora, encostou-o entre os grandes labios da vagina e empurrou, fazendo-o deslizar até desaparecer por completo. Minha mulher, que ja ansiava por ser penetrada, estremeceu-se toda e comegou a rebolar os quadris. 0 pau do rapaz entrava e saia de sua boceta avida. 0 quadro era de um indescritivel nivel de erotismo. Minha mulher sendo possuida por um homem, enquanto punhetava outro. Era de mais para mim. Coloquei-me por detras deles para ver melhor a penetraçao. 0 pau do cara, molhado e ereto, entrava e saia da vagina, com uma velocidade cada vez maior. Aquilo estava me enlouquecendo de tesao. Resolvendo participar, aproximei-me e coloquei meu pau na boca de minha mulher. Ela começou a chupa-lo, com avidez. Agora, ela tinha um cacete ocupando a boceta, enquanto punhetava um e chupava outro. Decorrido mais algum tempo, estavamos proximos do orgasmo. 0 primeiro a espirrar foi o cacetao: uma verdadeira torrente de esperma começou a fluir, caindo nos cabelos, rosto e peito de minha mulher. Enquanto ela lambia a glande da pica que acabara de gozar, o outro rapaz aumentava o movimento de vaivém. Retirei o pau da boca de minha esposa e continuei punhetando. Cheguei proximo do rapaz e disse-1he: Vamos gozar juntos em cima dos pentelhos dela. Imediatamenfe, após ouvir minha sugestao, ele sacou o pau para da boceta e continuou punhetando. Logo em seguida, gozamos ao mesmo tempo. Dirigimos nossos jatos de porra para a vulva dela, inundando seus pentelhos com o nosso abundante esperma. Foi mais uma inesquecivel aventura sexual que tive com minha esposa.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

SEXO GRUPAL.. VÁRIOS CONTOS

.. Os contos postados hoje foram enviados prá mim,por email.
O meu email é tonixscorpion@gmail.com.. to esperando o seu email. Espero que vocês gostem
...
-
EU, MINHA MULHER E UMA SURPRESA
AUTOR DESCONHECIDO

depois-do-boquete

Este conto é fresquinho, fresquinho, dado que aconteceu tem tres

semanas!
Eu e minha mulher temos (ou melhor, tinhamos) uma vida sexual

tradicional. Ou seja, nao tinha essa de sexo com outras

pessoas/casais, nao tinha vibradores, nao tinha sexo em locais

diferentes... etc.

Numa quarta-feira decidi sair mais cedo do emprego para ir para

casa onde estava minha mulher curtindo uns dias de ferias do

trabalho. Nesse dia sabia que ela la estaria com a visita da sua

amiga Marisa, uma mulata jeitosinha (com um filho,ja), mas que

nunca olhei com outros olhos que nao de amiga da minha mulher,
respeitando portanto.

Nesse dia eu decidi sair mais cedo do emprego para ir fazer

companhia para a minha mulher porque Marisa deveria ir embora

por volta das 17.00. Quando cheguei em casa, procurei fazer uma

pequena brincadeira, pregando um valente susto nelas, pelo que

entrei bem devagarinho nao fazendo qualquer barulho. Aí procurei

elas no andar de baixo e... nada! Decidi subir no andar de cima

onde so temos os quartos e WC, nada mais, logo pensando que

estariam naquela onda de mulher a falar de roupa e etc.

Quando vou subindo a escada começo ouvindo uns gemidos de

prazer e minha mulher a murmurar "sim, sim... lambe, sim". Como

devem calcular logo fiquei fodido, dado que pensava que me

estava chifrando com outro homem e a historia da Marisa
tinha sido um pretexo.

NADA DISSO!

Quando chego na porta do quarto (que estava encostada),

espreito e vejo minha mulher deitada, com suas pernas bem

abertas e a Marisa lambendo forte sua vagina, estando esta de

quatro com aquele bundao de mulata bem virado para onde
eu estava e eu vendo sua coninha bem humida e seu rabinho bem

que pedindo um pau grande e grosso.

Logo meu pau começou a crescer e logo comecei a acaricia-lo...
A dada altura, as gatas trocam de posição e quando Marisa se

deita, me ve na porta, com o pau de fora das calças e me

masturbando. Deu um susto imediato, mas ao meu sinal de silencio

ela logo disfarçou para que minha mulher nao me visse dado que

iria ficar bem sem jeito.
Fui entao tirando minha roupa e Marisa logo fez sinal para que me

juntasse a elas naquele tesao.

Entao logo entrei no quarto, e Marisa disse para minha mulher que

tinha uma surpresa atras dela, Sandra parou de lamber e quando

me viu todo despido e com o pau bem duro e grande logo me

disse que poderia explicar. Eu disse que nao queria explicações,

mas sim que me chupasse logo que estava morrendo de tesao. E
ela, claro, logo chupou, colocando quase todo o meu pau dentro

de sua boca como so ela sabe fazer. Entao chamei Marisa para

ajuda-la, e esta logo fou lambendo o meu saco. Meu pau estava

em ponto de ebulição e minhas maos nao paravam de apalpar

aqueles seios bons e grandes que ambas têm... sao duas putinhas

sacanas com peitos bem grandinhos e rijos!

Logo quis entao por meu pau bem dentro delas e assim decidi

castigar minha mulher e ai logo pus a Marisa de quatro e coloquei

o meu pau bem fundo em sua coninha encharcada de tesao! Fodi

aquela negra ate me cansar, entao rodei para o lado e fiquei

fodendo ela e lambendo a coninha de minha mulher, que me

pedia loucamente para a penetrar. Disse que NAO! Que teria ainda

mais um castigo. Aí fui de boca no cuzinho da Marisa que logo

ficou louca de tesao com isso, dizendo que o seu marido nunca

tinha lambido seu cuzinho e que era demais...

Depois perguntei para ela se queria experimentar o pau no

bundao louco que ela tem. Ela me disse que nao sabia porque

nunca tinha experimentado e suas amigas diziam que doia. Eu lhe

disse que faria dem devagarzinho e que ja tinha molhado bem seu

rabinho. Ela olhou meu pau (que tem aprox 23cm) e disse para que

pussesse bem devagar. E foi: Se deitou e colocou suas pernar em

cima de meus ombros, depois pedia a Sandra para sentar na sua

cara para que Marisa a lambesse e assim nao penssse tanto se

doer...

E fui colocando bem devagar. Marisa de inicio logo gritou e lhe

pedi que aguentasse um pouco...quando estava TODO dentro de

Marisa, deixei ela respirar um pouco e comecei a dar estocadas

lentas em seu cuzinho, ela me dizia que doia um pouco, mas para
nao parar que estava tambem dando um tesao grande para ela.

Enquanto isso Sandra se masturbava na boca de Marisa que a

lambia. Passados uns minutos, ja Marisa gemia de gozo e meu pau

entrava bem forte em seu cu! Até que nao aguentei mais e esporrei

seu cuzinho todo... Quando tirei meu pau, Marisa contraiu seu

cuzinho e logo eu vi toda a esporra saido de seu cuzinho. Marisa e

eu estavamos exaustos!

Ai decidi que ia aceder ao pedido de minha mulher e ia comer sua

coninha! Logo que lhe disse ela caiu de boca no meu pau que logo

levantou de novo!
Me deitei e Sandra galopou longamente sobre o meu pau, me

gritando algo nunca antes dito: FODE-ME, FODE-ME, AMORZINHO!
Depois disso a coloquei de quatro e lambi sua coninha e cuzinho

deixando este bem molhadinho pronto para o mesmo que Marisa

ja tinha levado!

Nesse momento, Marisa se coloca bem debaixo de Sandra, com a

boca para a sua coninha (em 69), para que Sandra lambesse e ela

fosse labendo me pau e sua coninha enquanto meu a comia. Pus

meu pau na boca de Marisa que tentou engolir todo que nem a

Sandra e logo se engasgou dado que nao estava habituada,
aproveitei e fui indo bem fundo na Sandra... ela adora ser comida

de quatro, se vem vezes sem conta! A dado momento, perguntei

no seu ouvido se gostaria de experimentar no cuzinho como Mariza

(ela nunca quis, ou melhor deixava mas logo que começava a

doer tirava meu pau). Ela disse apenas isto: Fode-me tudo... hoje
nao podes ter o que quizeres de mim.

Era bem isso que queria ouvir... Marisa logo agarrou meu pau antes

de o espetar no cuzinho de Sandra e chupou gostoso. Depois disse

para Sandra que era demais para ela relaxar que ia gozar bastante

com o pau dentro do cuzinho e que ela tinha se vindo tres vezes.

Abri bem as pernas de sandra, que estava de quatro esperando

meu pau... e aí fui metendo vara. Ela, como Marisa, berrou dizendo

que doia... mas que era tao bom. Como fiz com Marisa, coloquei

todo e a deixei relaxar, depois fui fudendo e aumentando a

velocidade das estocadas no seu cuzinho! A dado momento, ela ja
estava gemendo e se vindo que nem putinha.

Sandra, nao para de pedir mais e mais, até que eu quis esporrar de

novo e tirei meu pau, pedindo a elas para receberem minha

esporra em seus peitoes maravilhosos e assim foi, esporrei demais

nas duas...

FOI DEMAIS!

Depois desse momento, eu Marisa e Sandra falamos sobre como

elas tinham chegado ao que vi e logo me disseram que nunca

tinham experiementado, mas que estavam a falar de um caso de

uma amiga de Marisa que tinha tido um caso com outra mulher
e lhe tinha contado. E conforme comentaram Marisa levantou a

sua saia e pediu a Sandra para lhe tocar para ela ver como era,

Sandra ao inicio lhe chamou louca,mas Marisa disse que nao havia

problema pois estavam so as duas e seria um segredo so delas. Mas

como tinham gostado muito de se tocarem, tinha se

entusiasmado.

Desde esse dia, temos nos encontrado algumas vezes os tres... ate

que Marisa decidiu contar ao seu marido Ricardo, de uma forma...

interessante!

Vou escrever esse momento aqui... Posso adientar que eu e Sandra

estivemos presentes e...

----------

NUNCA GOZEI DAQUELE JEITO

AUTOR DESCONHECIDO

fucking_in_a_boat_II-blogg

 

Bom estava eu com meu namorado e um amigo dele em uma

festa onde nao conheciamos ninguem, assim que chegamos o

anfitriao da casa fez nos virarmos um copo onde havia, pinga,

cerveja, uisque e vodca tudo misturado,ja bebada estava louca

para transar com meu namorado, e detalhe os quartos da casa

estavam  todos ocupados com casais, assim que deu entramos em

um deles e comecamos a transar selvagemente, chegando logo

ao goso, mais o melhor estava para vir !!!!

Travado meu namorado apagou,e eu queria continuar a me

divertir,levantei e voltei para a festa, me aproximei de uma roda

onde havia + ou - umas 10 mulheres brincando de limao, onde

quem errava bebia uma dosse de pinga 51, sentei-me ao
lado de uma loira e todas me trataram muito bem, brincadeira vai,

brincadeira vem ja estava bebada de novo e estavamos falando

de sexo, cada uma contando suas mais louca fantasia,

aproveitando a desatencao das outras a loira  que estava do
meu lado, por sinal muita linda, comecou a apertar minhas coxas e

contar de sua fantasia com uma mulher do seu local de trabalho,

ja incontrolavel meu tesao da historia e das apertadas na perna,

pedi licenca e disse que iria ao banheiro,

para minha surpresa ela disse que queria ir tambem, sem pretencao

e ansiedade caminhamos para o banheiro, ao chegar fiquei

assustada e esperando um ataque dela, mais para minha surpresa

utilizei o banheiro e ela nem tocou no assunto,

quando ja estava lavando a mao para sairmos!  do banheiro, senti

sua mao subindo pelas minhas coxas e levantando minha saia,de

costas continuei imovel apenas sentindo seu toque, ela disse que
excitava muito com calcinha branca, ja estava latejando de tesao,

quando senti ela me puxando e me beijao de lingua, passando por

todo o meus labios, descendo o pescoco e orelha, eu so conseguia

soltar pequenos e baixos gemidos de tanto prazer, ela me sento no

vaso sanitario e abriu minhas pernas,e de quatro no chao
subiu beijando as coxas e logo chegando na minha xoxotinha

molhadinha, quandosentiu a exitacao gemeu que nem uma

putinha,

onde foi interrompida pelo barulho da porta se abrindo, me

assustei, mais creio que por coincidencia quem assustou mais foi

meu namorado, que entrou e pegou eu transando com uma

mulher, ao qual ele sempre soube que era minha maior fantasia

sexual, so lembro de ve-lo fechar rapidamente a porta e ficar nos

observando, mais daniela (a loira), ficou com aquela bunda

dourada com marquinha de biquine vir!ada para ele, que logo

colocou o pinto para fora e comecou a se masturbar,

eu cada vez mais excitada, so pensava em ver ele fudendo o

rabinho dela, quanto mais imaginava, mais ela me chupava e

mais ele caminhava para perto de nos,quando nao mais se

contendo de prazer o com o pinto duro igual uma rocha ele pegou

ela e num tranco meteu o pinto no cuzinho dela, que babou mais

ainda na minha buceta e finalmente gozei como uma louca, ela

vendo meu estado me segurou forte e gozou tambem, em seguida

abri a boca e engoli toda a porra do meu namorado...

Nunca gozei daquele jeito e acho que eles  tambem nao, saimos

do banheiro rindo que nem bobos e hoje fazemos tudo que temos

vontade, isso mesmo nos 3, vivemos uma relacao de prazer intenso

e tudo pela felicidade do outro. 

Aquela experiencia mudou nossas vidas e ate temos outras historias

com casais e uma nova amiguinha que ensinamos outro dia o que

e gozar, pois a mesma desconhecia essa palavra,

-----

TROCA INESPERADA
Nome do Autor:   Patrícia

th

 

A história que vou relatar aconteceu a algum tempo atrás. Sou a

Patrícia, namoro o Fernando e temos um casal de grandes amigos

a Júlia e o Renato.

Nos conhecemos a muito tempo, e quando eu e a Júlia estávamos

sozinhas falávamos das nossas transas com nossos namorados.
Um dia o Fer veio me contar que teve um sonho erótico com a

Júlia, fiquei um pouco chateada na hora, mas passou. Eu sempre

achei o Renato interessante mas nunca tinha tido nenhum

pensamento deste tipo com ele.

Dias depois aproveitei um momento propício e toquei no assunto

com a Júlia. Ela falou que as vezes tinha essas fantasias, e que

gostaria de transar com outro homem, mas desde que fosse uma

pessoa bem conhecida. Aí contei para ela do sonho do Fernando,

e notei uma certa inquietação mas mudamos de assunto.

Na quinta-feira da mesma semana a Júlia foi até minha casa e

disse que tinha uma idéia excitante. Ela contou que o Renato

estaria chegando de surpresa na sexta-feira. Ninguém da família

dele sabia e que eles iriam direto do aeroporto para a suíte de um

motel. Aí ela falou: só que a surpresa vai ser dele, porque você vai

buscá-lo. Fiquei meio boba, mas adorei a idéia.
Combinamos de falar para o Renato que eu iria para Londrina e

depois encontraria ele e a Júlia na fazenda de meus pais, para

passarmos o fim de semana.

Na sexta-feira, quando o Renato e ela já tinham ido para a

Fazenda, cheguei em casa e tomei um longo banho. Adoro meu

corpo e a única parte que não me agradava eram os seios, que

diminuí com uma cirurgia plástica, e mesmo assim eu uso sutien 44.

Além  disso sempre me cuidei indo diariamente para a ginástica,

onde sermpre notei calorosos olhares masculinos. Terminei meu

banho e fui para o aeroporto.

Cheguei pouco antes do desembarque do vôo, e estava muito

nervosa, mas agora não tinha mais volta. Ele apareceu deu um

belo sorriso e vi que seus olhos procuravam por ela. Nos

Cumprimentamos e eu disse que a Júlia não pode buscá-lo mas

que ela tinha uma surpresa para ele. Notei que ele não entendeu

muito bem, mas até  aquele momento não tinha percebido a

situação.

Pedi para ele dirigir porque eu sabia que não ia conseguir, e nesse

instante ele percebeu o quanto eu estava nervosa. Ao sairmos falei

que era melhor ele seguir pela rodovia, ele sorriu e falou tudo bem.

Acho que ele estava percebendo mas não conseguia acreditar na

situação. Antes de chegarmos a BR, falei entre a esquerda. Ele sorriu

e falou:que surpresa! Quando entramos na rua do motel ele passou

a mão em meu rosto.

Entramos, ele fechou a porta da garagem e me beijou antes de

entrarmos na suíte. Eu larguei meu corpo sobre o dele, e ele falou

que sempre sentiu muito tesão por mim. Aí ele me ergeu e me fez

sentar sobre o capô do carro e me beijou carinhosamente. Me

provocou mais um pouco e subiu minha saia.
Desta vez a surpresa foi dele porque eu estava sem calcinha.
Ele se abaixou e seu dedo tocou meu clitóris e com sua boca beijou

meu joelho e veio subindo, chegou até minha virilha e deu um

beijo gostoso. Abriu minha bucetinha e começou a me comer com

aquela língua quente. Eu me contorcia de tesão e ele caprichava,

ora chupando os grandes lábios, ora me enfiando a língua, e nesse

ritmo não demorei para gozar apertando a cabeça dele contra

meu sexo.

Aí ele me carregou no colo e me jogou na cama. Foi até o frigobar

e abriu uma champagne. Tirou minha blusa e virou a garrafa em

meu corpo. Sorriu e soltou meu sutien e falou: ah esses peitos

maravilhosos. Tirei suas calças e quando baixei a cueca vi um pinto

de comprimento normal, uns 17 cm, mas muito grosso.

Ele beijou e chupou meus seios e colocou o pau no meio deles.

Começou a fodê-los com o pau, que agora estava ainda mais

grosso. Não resisti e segurei o saco dele com uma mão e enfiei a

cabeça em minha boca. Peguei a champagne e derramei um
pouco sobre o pênis e o saco. Ele delirava com o frio da bebida e

o calor de minha boca. Eu chupava seu saco e seu pau inteiro

alternadamente. Vi que ele não se agüentava mais e ele tirou o

pau e gozou em meus seios.

Fomos para o chuveiro e ficamos nos provocando, até que ele me

abraçou e senti aquele pauzão apertando minha bucetinha. Ele

me sentou nas pernas dele e eu ajudei a encaixar. Adorei sentir

aquele cacete me abrindo bem devagar, enquanto ele beijava

meu pescoço e orelhas. Abracei as costas dele com as pernas e

fomos assim para a cama, mas antes de chegarmos lá ele me

jogou no chão e começou a me comer.

Eu já estava adorando aquilo, e eu não sabia como estava

agüentando um pau tão grosso. Quando ele enfiou tudo eu gemi

muito alto. Estava muito gostoso, aí ele começou a enfiar um dedo

em meu rabinho. Eu disse não, mas ele não se importou.

Recuou um pouco e enfiou o dedo, enquanto bombava gostoso

dentro de mim.

Gozei, uma, duas vezes sendo comida pelo melhor amigo do meu

namorado, pensando nisso gozei outra vez e ele também.
Nos abraçamos e deitei sobre ele. Ficamos conversando e falei,

você imagina o que a Júlia está fazendo agora? Ele falou, deve

estar com o Fernando..eu falei está.

Senti o pau dele endurecer novamente e falei : eles estão na

fazenda, mas eu quero ser sua amazona. Ele sorriu e falou então

cavalga. Eu obedeci e fiz aquele mastro sumir dentro de mim. Que

homem delicioso eu pensava. E nesse momento ele gozou outra

vez.

A noite foi passando e transamos várias vezes, até que as 4h da

manhã nos pegamos no sono. Acordei as 7h da manhã, cansada

mas muito feliz por ter aceitado fazer essa loucura.

Tomamos café e ele me chamou para a cama outra vez. Sentei no

colo dele. E comecei a esfregar minha bucetinha naquele pau.

Ficamos bem excitados e quando eu estava molhadinha pedi para

ele me comer.

Ele me falou..fica de 4! Eu falei, mas não dá! Ele disse :calma..fiquei

de quatro e ele enfiou o pau lentamente em minha bucetinha.

Quando o pau dele estava deslizando bem gostoso ele molhou os

dedos nela e enfiou um dedo no meu rabinho. Aí tirou o pau e

apontou para meu cuzinho e falou, tem certeza que não quer?

Eu falei: me fode! Com muito cuidado ele enfiou a cabeça e foi

aos poucos enfiando o resto..Um mão bolinava meu clitóris e a

outra segurava meus seios.
Pensei que não fosse agüentar, mas estava muito gostoso..e

quando ele começou a bater com o corpo na minha bunda , não

agüentei, falei muitos palavrões e gozei muito ! Que trepada!

Até hoje fazemos essa troca. È uma situação de alto-risco, mas eu

adoro cavalgar aquele macho e por enquanto não penso em

parar.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

CONTOS RECEBIDOS POR EMAIL

nO POS DE HOJE ALGUNS CONTOS RECEBIDOS POR EMAIL. MEU EMAIL É tonixscorpion@gmail.com. MANDA TB QUE EU PUBLICO.. ESPERO QUE VC GOSTE DOS CONTOS DE HOJE.

 

FODA NO ONIBUS

AUTOR DESCONHECIDO

9 (1)

Quando estavamos saindo, vi que o onibus parou para recolher alguem mais
atrasado que eu...era uma morena não so linda como tambem “gostosa”.
    Ela entrou e foi para o fundo do onibus, ai eu virei para o lado e preparava-me
para cochilar, quando escutei aquela vozinha doce e aveludada...- Oi, o onibus
eta lotado, e so sobrou este assento aqui, eu posso?  Fiquei meio perdido e disse que sim , que ficasse a vontade.
    Ela colocou a bolsa no bagageiro, pegou o cobertor e o travesseiro do onibus e
sentou-se ao meu lado e pediu se podei ficar na janela, eu disse que para mim
estava tudo bem, ela acomodou-se e disse, deixe me apresentar já que ficaremos
mais de 24 horas juntos, eu sou ..., sabia que vc é muito simpatico e bonito?...eu respondi, meu nome é... obrigado e vc é muito linda sabia?...ela disse somos...rs...
    O onibus partiu, ela começou a puxar papo sobre varias coisas, daí ela disse, -
viu, vc não se importa se eu ficar a vontade?...eu disse como assim?...ela
respondeu, - sabe, eu so sei dormir de calcinha...Ai, eu quase tive um treco,
disse, que por mim tudo bem , que eu tambem tinha mania de soltar a calça para
dormir, ela disse –jura?...eu disse, - serio...ela falou, - acho que vamos nos
entender muito...rs...
    Daí ficamos ali conversando, e ela disse – bem , já que vc disse que não se
importa eu ficar a vontada, ai ela começou a tirar a blusa ( era inverno ),
depois a camiseta, depois o soutian, o tennis, a meia, a calça, eu fiquei em
estado de choque e tesão. Quando ela se mechia,pois ela gesticulava muito,
sentia seu cheiro delicioso, de mulher semi nua, aquele cheiro de jasmim da
serra, uma coisa de louco. Começamos a falar sobre sexo, encontros casuais, sexo
casual, daí ela disse que estava com um pouco de frio, daí eu comentei
sorrindo... – tambem vc esta pelada?...rs...ela disse pelada?...daí ela se mexeu
e me mostrou sua calcinha e disse, agora eu estou pelada...rs...quando eu vi
aquela calcinha branca com aquele perfume de xota de mulher. Fiquei quase loco,
segurei a mao dela e a trouxe ate meu pau que estava fora da cueca e duro como
nunca, ela senti-o e sorriu e disse, nossa!!! Que delicia...ai pessoal, o
negocio começou a esquentar, ela começou a mexer nele, ela se des!
cobrio da coberta, ela estava nua em pelo...e pediu para ficar embaixo de meu
cobertor, eu a trouxe para perto de mim, ela disse, - vc não vai tirar sua
roupa?...ela começou tirando minha blusa. Camiseta, tennis, meias, cakça e
cueca, ela pegou minha cueca e du uma cheirada, e disse – adoro cheiro de macho
gostoso, e colocou sua calcinha em meu nariz e disse – que esta sentindo?...eu
disse – cheiro do sexo de uma mulher muito gostosa, ela me abraçou, subiu por
cima de mim, sentou-se sobre meu colo, de frente para mim, senti aquela bunda
redondinha e quante em minhas pernas, e meu pau deslizando por entre suas coxas
roliças e macias, senti sua xotinha raspando aqueles pelinhos macios, ela
começou a me beijar, sentia seus peitos durinhos e seu bicos pontudos,
acariciando meu peito peludo, uma delicia. Já estava sentindo no ar aquele
cheiro delicioso de sexo, meu e dela, ela se abaixou, ficou de joelho na frente
da poltona e começou a me chupar, que coisa deliciosa, e que habil!
idade e carinho...meu pau estava tao duro que ela disse, posso morder ele?...eu
disse, bem duro como esta vai em frente, olha realmente estava tao duro que eu
sentia ela tentando , com meu pau duro em sua boca, encostar os dentes, vou
disser uma coisa uma sensaçao divina, e o mais interessante que eu não sentia
nada apenas um tesao sem tamanho. Ela subiu novamente e pediu que eu lambece sua
xaninha que estava piscando...ela se posicionou na poltrona eu me ajoelhei e
mandei ver, com carinho e movimentos circulares de lingua, eu massageava seu
grelinho que já despontava para fora de sua toca, ela era uma mulher linda e
gostosa mesmo, enquanto eu a lambia, com 2 dedos eu masturbava carinosamente seu
ponto “g”, ela começava a gemer, ela colocou na boca a calcinha, para evitar
algum escanda’lo, daí eu fui a loucura, eu a lambia, masturbava e ela mordendo a
calcinha, olha isso era demais...ela deve Ter tido alguns orgasmos, ela não
queria que eu parace, devo Ter ficado ali de boca!
naquela coisa gostosa, certa umas 2 horas, eu lambia ela rebolava, gemia,
apertava minhas costas com suas unhas, subia e descia sua xana na minha boca,
meu nariz entrava e saia de sua deliciosa buceta, uma delicia sem tamanho, meu
pau doia, latejava de tesao, daí ela me afastou carinhosamente de sua xana
deliciosa e disse...- me fode agora, mais não goza, ok? E coloca a
camisinha...eu disse, - coloca a camisinha nele e fica de quatro sobre a
poltrona, e la ficou, aquela bunda redondinha me pedindo para que eu enfia-se
todo ele nela, me posicionei e mandeie ver, começei com estocadas tranquilas,
logo ela pediu mais força, eu a atendi, de imediato, ela mrodia a calcinha de
tesao e prazer, enquanto meu pau saia e entrava naquela coisinha rosinha
cheirosa e quentinha,molhei meu polegar em minha boca e começei a massagear seu
cuzinho, que tambem piscava para mim, ela se arrepiou e não sinalizou nada
contra, daí eu mandeie ver, enquanto eu a bobava, masturbava seu cuzinho, ela
de!lirava, senti que ela yinha orgasmos altissimos...daí ela pediu para para, que
ela precisava sentir meu pau na sua boca, e sentir sua xaninha em minha boca, eu
disse – quer um 69?...ela me puxou e disse, - quero e agora...olha não sei se
alguem notou, (acho que alguem deve Ter notado, pois estava um cheiro delicioso
de sexo no ar, deitei na poltrona, ela se posicionou sobre mim, senti aquela
boca quente e deliciosa em meu pinto, e sua xana deliciosa chegando ate minha
boca, nos cobrimos e mandamos ver, sabia que ela tinha novo orgasmos, quando
sentia sua bucetinha contrair e sua bocar apertar meu pau, uma locura
generalizada, sentia seu suco de mulher , doce e delicioso, encher minha boca,
que locura deliciosa, creio que tambem tive orgasmos, pois tinha vezes que eu
relaxa de um jeito que nao era normal, eu e ela suavamos de baixo daquele
cobertor, devemos Ter aproveitado mais umas 2 horas e meia, de chupação
deliciosa, daí ela pediu que eu a penetrasse novamente, com estoca!das firmes e fortes, mudamos de posição e fomos nos de novo, olha uma delicia,eu tinha que apertar embaixo do saco para não gozar, depois de muitas estocadas ela morder muito a calcinha ela disse que precisava Ter seu cuzinho comido,retirei meu pau de sua bucetinha deliciosa e carinhosamente começei a coloca-lo m seu cuzinho, fecahgdinho, demorou um pouco, pois tive que ir na manha para arinhosamente não machuca-la e poder aproveitar muito aquele buraquinhoapertadinho...enquanto eu dava estocadas ela masturbava-se com seu dedinho em eu critores que estava entumecido e vermelho, ela gemia silenciosamente de
prazer, era tanto prazer que ela chegou a fazer um pouco de xixi...rs...foi uma
delicia e mais tesao ainda, daí eu disse, - ta chegando minha hora, ela virou
para meu lado , tirou minha camisinha e colococou meu pau latejante em sua
boquinha quentinha e ...olha depois disso eu quase desmaiei de tanto prazer,
ficou tudo mais escuro, e toda aquela pressão inrrompeu p!ara fora, sair leite que não acabava mais , ela chupava-me como um bezerrinho,vi estrelas, gozei deliciosamente, tive orgasmo (?) , ela me realizou como nnca...

.o que segue vou contar somente como bonus...rs.    Enrolei-me no cobertor e fui para o banheiro do onibus que fica em baixo do afezinho/bar, entrei e deu aquela lavada no rosto...daí alquem bateu na porta e isse – abre que sou eu...abri a porta era ela enrolada em um cobertor, com uma   oalha de banho e 2 garrafas de agua mineral...ela entrou fechei a porta, ela
perguntou se eu já tinha feito xixi, eu respondi que não , e ela pediu para que
eu fizesse enquanto ela segurava meu pau, me posicionei, dentro do possivel
naquele local pequeno, e começeia a fazer, enquanto ela brincava com meu pinto,
ele começou a crecsre de novo, e ela forçava ela para baixo para evitar que eu
mijasse na parede, e ele continuava crecscendo e levantando, ela dava risada e
eu tambem...quando acabou ela sacudiu direitinho...rs... ela pediu que eu
sentasse no vaso que ela iria fazer xixi, sentada em meu colo, sentei ela sentou
em cima de mim, meu pau já estava duro que nossa, ele ficou entre suas pernas,
daí ela disse...- ai vai....senti aquela agua!
fervendo descendo por entre meu pau e meu saco, uma delicia sem poder de
descrição, enquanto ela fazia xixi, olha não sabia que mulher fazia tanto
xixi....rs...ela me masturbava, não deu outra, gozei de novo, uma delicia ,
chegou a acertar ate seu rostinho lindo...daí ela levantou e disse, fica
quietinho que vou te dar banho...eu sorri e disse, essa quero ver....ela molhava
sua calcinha na agua mineral e lavava-me, pedacinho por pedacinho, passou agua
em meus cabelos, depois com sua calcinha lavou meu rosto, meu pescoço, meu peito
peludo e definido, meus braços, minha barriga, minhas costas, minha bunda, (ela
deu uma mordida que tenho marca ate hoje...rs), lavou meu pinto com carinho de
nenê, minhas coxas. Depois enxugou-me carinhosamente e passou em mim alguns
lenços perfumados, olha nuca fuitratado assim...depois de pronto coloquei uma
cueca limpa, e e;a disse, agora vc cuida de mim...uma loucura...lavei seus
cabelos longos, seu rostinho lindo, seu pescoço, seus braços, s!
eus peitinhos deliciosaos, sua barriguinha. Sua bundinha, (daí eu fui a forra,
deixei minha marquinha...rs...), sua bucetinha deliciosa, ela arregassava para
que eu limpasse bem direitinha, sua pernas deliciosas tambem, enxuquei-a e
passei nela lencinhos perfumados, uma limpeza muito bem feita, deliciosa e de
dificil narração. Ela disse que tinha poucas calcinhas e tinha pego na minha
mala, uma sunga (cueca) minha (são tipo sungas, bem pequenas), se eu não me
importava, eu disse que não , que ela podia ficar com ela, olha...ela de
sunguinha minha, me deixou de novo com tesão, voltamos para a poltrona e
dormimos apenas 1 hora e chegamos a tal cidadezinha.
    Tomamos café, em um ginasio, e fomos nos arrumar para a apresentação, o
uniforme era, para homens, calça preta e camisa social branca e para as mulheres
saia preta justa e camisa social femenina, eu me arrumei mais não coloquei
cueca...apos cantarmos seguimos toda a programação, ela estava linda. Depois de
jantarmos nos dirigimos para o onibus par ao regresso a capital do estado...e
adivinha...sentamos nas poltronas o onibus começou a viagem, apagaranse as
luzes, ela começou a se despir, eu tambem, em 15 minutos depois de beijos
deliciosos, iniciamos tudo de novo, com menos forças agora, mais nem sentimos a
viagem de volta, não tem problema , pois na vinda nem nas duas paradas nos
paramos de fazer um sexo louco,

 

DANDO PRA UM DESCONHECIDO

AUTOR DESCONHECIDO

16
-

Sempre gostei de fazer amigos pela internet, e neste dia era mais um encontro
que eu iria para conhecer um cara que teclei em um chat, era um churrasco aqui
em Brasília. Só que o endereço era complicado e eu liguei para este "amigo" pra
ele me indicar corretamente o caminho, e eu estava acompanhada de uma amiga,
este meu "amigo" disse-me que um outro amigo dele iria até o ponto onde eu e
minha amiga nos encontrávamos; ele estaria em uma moto preta e vestia uma camisa
amarela e de short de banho. Quando ele chegou apresentou-se e disse-me que me
levaria a tal casa, não consigui ver seu rosto por causa do capacete ma as
pernas e os braços eram bronzeados e bem torneados. Chegando lá havia muitas
pessoas dentre elas mulheres, homens, e até crianças. O Motoqueiro retirou o
capacete e revelou um rosto muito bonito, olhos castanhos esverdeados, a pele do
rosto também muito bronzeada e quando ele tirou a camisa quase perdi o fôlego,
travada! Cheguei-me até o meu "amigo" pra que ele!
ma apresentasse as pessoas que ali estavam e que seriam a minha compania pelo
resto do dia! O churrasco não poderia estar melhor muitos homens bonitos e
mulheres lindas. O Motoqueiro e um grupo de amigos não paravam de conversar
entre si sobre algo realmente interessante pois riam e olhavam a sua volta e
também pra mim. Quando já anoitecia começou a tocar um forró mais lento, que só
dava pra dançar bem coladinho, o Motoqueiro covidou-me pra dançar mas não boa em
forró, mas ele valia a pena arriscar uns passos. Começamos bem devagar e depois
ele começou a falar baixinho na minha orelha, perguntou se eu tinha namorado,
onde morava, se gostava de beijos na orelha, no pescoço, de dançar roçando as
coxas, e eu começando a ficar doida com a quilo, começei a incentivá-lo, dando
leves mordiscadas na orelha, e passando a mão pela sua nuca. Uns dez minutos
depois ele me convidou pra dar uma volta na moto dele, e eu (é claro) aceitei.
Disse-me que tinha uma casa do tio dele ali perto !
e gostaria de me mostrar. Eu estava de vestido então quando eu sentei atrás dele
minha coxas ficaram exatamente na cintura dele e eu puxei a saia pra que ele
pudesse por suas mãos por debaixo do vestido e me sentisse. E foi o que ele fez
a casa era duas ruas após a casa onde estávamos, assim que chagamos vi uma casa
muito ao fundo do terrene e na frente não tinha nada e nem havia luz, somente a
luz da lua.

Começamos a nos beijar e mão naquilo e aquilo na mão, e eu queria chupar o pau
dele por inteiro, e ele me queria em cima da moto, eu eu chupei o pau grosso
dele todinho, chupei como se chupa um pirulito gostoso, ele tirou o short de
banho e a camisa e eu tirei o meu vestido e eu naum estava de calcinha, então
estávamos os dois nus. Subi na moto abri as pernas e ele me chupou, enfiou a
língua gostosa na minha bucetinha molhada, e eu quase gozando quando ele meteu
seus dois dedos bem grossos e me chupando quando eu gozei na sua boca. Ele
queria mais, e eu arrebitei a minha bundinha e pedi que ele metesse na minha
bucetinha, ele com o pau durão, meteu muito, meteu forte, gostoso, quando ele
tirou e me mandou chupar mais e eu chupei pra ele gozar nos meus peitos, quando
veio aquele leite quentinho eu me deliciei, e devagarzinho começei a
incentivá-lo pra uma próxima gozada, com a minha boca fui bem lenta e chupando a
cabeçinha, as bolas, e com os meus peitões naquele pau gostoso!
; eu querendo que ele gozasse na minha boca pra eu engolir a porra todinha, e
ele me pegou e me colocou apoiada na moto e comeu o meu cuzinho, delicioso
demais, quando estava pra gozar me fez chupar mais aquele pau gostoso, e colocou
aquela porra toda na minha boca, era deliciosa. Já havia se passado mais de 40
minutos quando entramos na casa nos fundos do terreno, havia uma cama e mais uma
vez e me comeu a minha bucetinha que estava doidinha por aquele pau gostoso e
depois tomamos uma bom banho.

Ele me colocou em cima da moto e me comeu ali antes de voltarmos para o
churrasco, gozei de novo. Quando chegamos, trocamos telefones e cada um foi pro
seu lado, fui embora uns 10 minutos depois.