quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

CLARINHA – SEXO POR TELEFONE

CONTO DE GABRIEL

Conheci Clara numa sala de bate papo,à tarde. Começamos a trocar mensagens,e logo descobrimos muita afinidade.Gostei do seu jeito,ela parecia ser muita simpática e inteligente,fiquei com vontade de ouvir a sua voz.

Perguntei se podia ligar prá ela ,ela disse que naquela hora não podia,porque seu marido estava chegando e tinha muita gente na sala. Perguntou se podia me ligar mais tarde,de madrugada.
Minha mulher estava viajando e eu disse que sim.

De madrugada ela me mandou um torpedo e eu retornei e liguei prá ela . Clara tinha uma voz muito gostosa,suave,meio rouca e estava quase sussurrando,porque não estava sozinha.A familia dela estava dormindo e ela estava no quarto da empregada que ficava na parte de baixo do sobrado.A empregada estava de folga e ela achava excitante estar ali.

Disse que tinha gostado muito do nosso papo e perguntou o que eu achava da sua voz. Eu disse que tinha adorado a voz dela,suave..gostosa,muito sensual.Ela sorriu,parece ter gostado.

Como eu tinha tido pra ela que escrevia contos eróticos ela me perguntou se eu podia ler um conto prá ela. Li uns quatro, meus e dos outros. ..Quando acabei de ler ela me disse  :

- que voz bonita você tem, disse Clara.adorei seus contos, to começando a ficar excitada.

- Sua pele é tão macia como sua voz ?,eu disse,já alisando o meu pau
- é,
- imagino seu corpo lindo,macio,seu marido é um cara de sorte
- eu também acho, ele é um gato

- se eu estivesse aí ia passar a mão pelo seu rosto..devagar.
- eu sinto..sua mão gostosa...forte e suave
- passo a mão na sua nuca
- gostoso..estou sentindo pela sua voz
- cabelo gostoso, perfumado.

- não se aproxima assim..
- hum, que delicia..deixa eu cheirar seu pescoço
- ai, nao faz isso, tá encostando muito..to sentindo seu nariz no meu pescoço
- vc gosta ?
- adoro..
- e esses lábios deliciosos ? eu não resisto,não
- ..que tentação..queria me beijar de verdade ?
- queria..sente ..hum...

- .........sinto...me beija de novo..me abraça
- assim ?
- hum, hum...
- te imagino com um beijo delicioso, clara,
- o seu também..sua lingua me invadindo..
- vou passar a mão pelo seu corpo.como está vestida ?
- com uma calça jeans e de camiseta..
- enfio a mão por dentro da camiseta e toco suas costas..seus seios..
- gabriel...estou ficando excitada..
- desço a lingua pelo seu colo, sua barriguinha
- ah..aii

- tira o soutien, clara..quero que tire o soutien e toque seus seios..
- espera...tirei..estou tocando meus seios agora
- imagine meus labios nos seus mamilos...ahh, vc me deixa louco..vc é muito gostosa..
- gostoso é vc..
- estou com tesão por vc..
- eu tb..vemm..
- tira a camiseta..tira...
- não posso...não posso..
- tira, tira imaginando que eu to tirando

- .vou tirar...pronto
- vc é linda..chupo seus seios
- o que vai fazer comigo, gabriel ? me diz !!
- lamber todo o seu corpo,chupar sua bucetinha,morder suas nadegas,sentar vc no meu colo, de frente pra mim..te comer bem gostoso, te colocar de quatro e te encoxar..esfregar meu pau no seu cuzinho..

- ai, gabriel..chupa meus seios...eu adoro
- ai, que peitinho gostoso...ahh
- chupa assim..ai, que loucura..acho que estou ficando louca..morde assim, devagarinho..delicia..delicia..chupa mais..
- clara..
- humm, fala,...
- cade sua mão ?
- o que voce quer dizer ?
- abre o ziper de sua calça,quero que abra..imagina minha lingua na sua virilha
- não posso..não..alguém pode acordar e me ver

- abre..enfia a mãozinha e toca seus pelinhos..só toca os pelinhos,vai clara
- abri, estou tocando, imaginando que é vc
- isso... desce mais,,mais...assim... desce a calça
- nao posso, gabriel, vou ficar pelada...to no quarto da empregada..ja pensou se alguem me ver pelada aqui?

- entao eu tiro....desço ela devagar...acariciando suas pernas
- vc é louco,eu não resisto ,tirei....estou de calcinha
- só ?
- só..me acaricia por cima da calcinha
- acaricio ,clarinha..agora desce a calcinha..passa o dedo levemente nos labios da xaninha..imagina que é minha lingua
- to passando..humm..

- acaricia o grelinho, imaginando minha boca
- estou acariciando...nem acredito, gabriel, estou pelada aqui  me masturbando.. alguém pode me ver...estou adorando vc..
- fala o que vc tá fazendo...fala...
- eu estou aqui arreganhada na cama com dois dedos socadinhos bem fundo na xota imaginando você me comendo.

(Nessa hora Clara colocou o fone perto da boceta ,e eu ouvi o barulhinho da xota molhada sendo socada.)

- to dando uns tapinhas bem no meio dela ,aiii.,(ela dizia bem baixinho...)

- Que delícia que você é, que tesão..isso safada,soca fundo nessa boceta,fode ela pra mim.
- Geme pra mim, Gabriel...
- Aii, tesão..gostosa. eu comecei (eu gemia feito louco,batendo punheta apertando meu pau)
- Molha um dedo e enfia na buceta ,vai ,esfrega o grelinho e geme prá mim....
- Me masturba,Gabriel..fala o que vc quer que eu faça,eu obedeço..

- Isso,isso..cê tá molhada ?
- To molhadinha..molhadinha..
- Lambe os dedinhos com seu melzinho.
_ humm...hum...to lambendo..lambe vc Gabriel..,,humm
- Assim ? delicia...
- Continua,amor...

- Deixa o dedinho bem molhado de saliva e passa a pontinha do dedo no grelinho..inchadinho prá mim...
- Só prá vc,amor,vem beijar,vem lamber,vem me morder...aiii
- Esfrega o dedinho em circulos sobre o grelinho..isso..aii
enfia dois dedos agora dentro dela e fode essa buceta...
fode..fode clarinha..isso, geme pra mim..
- Gabriel,quero vc aqui...quero vc dentro dela..quero sentir teu pau rasgando minha buceta molhadinha
- Tesão..to aqui batendo punheta imaginando vc,

- coloca o telefone perto dele..quero ouvir o barulho da sua mão na pica.. ( coloquei e ela ouviu o barulho molhado do vai e vem. Clara começou a gemer)
- Vem, Gabriel,quero sentir voce enfiando ele todinho na minha bucetinha...
- Safada...vadia..
- Isso, me xinga..me bota de quatro e enterra...

- Cachorra...
- aiii. eu to sentindo,to sentindo seu caralho todo enfiado na minha buceta.. aiiiii...aiiiii...quero beijar voce todinho....enquanto voce rasga a minha buceta com o seu pau....seu cachorro safado, filha da puta....vem.. me fode toda....me fode todaaaa....quero sentir seu pau batendo na minha bunda...

- aiii, eu gemia e me punhetava que nem louco..e xingava ela de cachorra, de vagabunda,de vadia..
- isso, isso..quero sentir seu pau batendo na minha bunda
quando voce estiver me comendo de quatro...e me fudendo,cachorro ...quero voce, Gabriel,meu macho safado....

- Putinha !!!
- Sou mesmo, sou sua putinha...sua cadelinha....sua tarada....aiii, aiii vou gozar no seu pau ....deixando ele todo meladinho com meu gozo...hummmm...seu filha da puta safado
- To te fodendo bem gostoso,to com pau todo na sua buceta..batendo na sua bunda..

- ...eu tô sentindo meu macho...eu tô sentindo o seu caralho todo enfiado na minha buceta.......Me xinga, me xinga,grita..
- SUA PUTA, SUA VAGABUNDA,SUA VADIA..
- Isso,xinga mais,mais alto..
- CACHORRA,VADIA.. PUTINHA..
- vou gozar, vou gozar...(Clara soltou um sussurro de gozo,e disse..to gozando tooog goooozandddooooo...aiiiaiai
Quando ouvi ela gozando, senti que ia gozar também....e disse :- vou gozar na sua buceta molhada....tõ gozando nessa buceeeeetaaaaaa ,cachorra...minha femea, minha delicia...
-..............................................
-....................................................

Depois com a respiração ofegante, ela me disse:
- Gabriel?
- Oi..eu respondi também ofegante..com a mão toda esporrada..
- Gozei gostoso,Gabriel,vc é delicioso..molhei a cama toda da empregada..vou ter que trocar os lençóis..vc gozou ?
- Gozei gostoso...
- Humm,queria que fosse na minha boca...
- Safada..
- Vou ter que desligar..adorei vc..

( conto de Gabriel - narcisosantos@hotmail.com)

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

DIVERSOS CONTOS

OI, no post de hoje, mais alguns contos recebidos por email. O meu email é tonixscorpion@gmail.com. Espero que gostem !!!

-
ÔNIBUS LOTADO
Nome do Autor:   Menina Superpoderosa

Uma coisa sobre mim é que eu não tenho uma bunda espetacular, ela é meio que assim.... normalzinha, sabem como é? Mas eu tenho um tesão doido nesta minha bunda. Quer um jeito de conseguir até a minha alma é encostar um pau duro nela.... e é por isso que eu adoro ônibus e metrô lotados. Em dia de greve todo mundo fica de cara feia, reclamando, e eu na maior alegria. E claro, sempre tem um para grudar o pau na minha bunda e só sair quando chega a hora de descer. Eu,claro, finjo que quero mudar de lugar, que fico brava, mas é só para não dar muita bandeira.

Pois bem, um dia eu entrei no ônibus que estava lotado, era de manhã cedinho e eu me preparei psicologicamente para ir em pé no caminho inteiro, que era uns 90 minutos. Eu tinha dormido pouco na noite anterior e estava morrendo de sono, meio que cochilando quando eu senti um cara bem atrás de mim. Acordei na hora.

Como habitual eu tentei dar um passo para esquerda, não deu, o ônibus estava realmente lotado, então tentei para a direita idem, me dei conta de que estávamos entalados ali. Eu sou uma pessoa bem prática, e uma vez que nada podia ser feito com relação a posição que estávamos, eu relaxei e procurei curtir a situação.

Naquele dia eu estava vestindo uma calça de tecido bem fininho, com uma calcinha bem pequenininha atrás e como era alto verão ele também estava com uma calça de tecido bem leve. Na verdade tinha tão pouco tecido entre nós e estávamos tão perto que dava para sentir a pulsação e a temperatura do corpo um do outro.... pelo menos eu sentia perfeitamente a dele. É claro que a essa altura eu já estava sentindo o pau dele crescendo, e claro, o meu corpo ficando mole, mole de tesão.

No início, no limite do possível, devido ao chacoalhões do ônibus, ele ficou
absolutamente imóvel e assim fiquei eu, mas aos poucos, bem lentamente, ele começou a pressionar o pau na minha bunda tão de leve que era praticamente imperceptível, simulando os movimentos de uma penetração. E eu senti minha vagina esquentando e ficando molhada, senti meu clitóris latejando de tesão. Ele mexia tão gostoso! Eu tentava continuar com a minha cara de paisagem, disfarçar a respiração que já estava bem mais acelerada do que o normal. É claro que ele percebeu que eu estava gostando do assédio e aumentou um pouco a pressão e os
movimentos, o que permitiu que eu sentisse o pau dele bem melhor, na verdade eu podia sentir cada centímetro do seu pau quase estourando de tão duro na minha bunda. A sensação era incrível.

Aos poucos nós dois fomos perdendo um pouco a noção do quê estávamos fazendo e onde, eu pelo menos estava com tanto tesão que desisti de tentar disfarçar. Não dava mais. Ele continuava esfregando-se devagarinho como se estivesse me fodendo de verdade. E eu pressionava minha bunda levemente contra o pau dele, louca para sentir mais dele no meu traseiro, nossa, eu sentia ele exatamente como se ele estivesse dentro de mim, para mim a sensação era idêntica, eu podia até sentir a
cabeça do pau dele na minha vagina, coisa incrível que é a imaginação.

Neste ponto ele continuou a se segurar com um dos braços, e passou a me
acariciar com a outra mão, sem nunca parar de roçar o pau na minha bunda. Muito suavemente ele foi (bem vagarosa e discretamente) acariciando a minha bunda, a minha cintura, deslizou as costas dos dedos pelo lado de dentro do elástico da minha calça, se enfiou por dentro da minha blusa, bem fininha e solta, tocando o meu estômago e foi subindo até alcançar os meus seios. Ele não tocou a parte superior ou os meus mamilos, já que estávamos num lugar público e tentávamos ser
discretos, mas ele chegou tão perto quanto a situação permitia. Ele foi
acariciando a base e as laterais dos meus seios com a ponta dos dedos (eu estava sem sutiã)..... não é preciso dizer que a essa altura os meus mamilos estavam até doloridos, de tão duros.

Eu comecei a ficar com muito medo de que as pessoas percebessem o que estava acontecendo, então discretamente olhei as que estavam mais próximas a nós e constatei que não havia nenhuma mulher. Imaginei que ter só homens por perto era melhor porque eles formariam uma espécie de barreira,  e se eles percebessem alguma coisa dificilmente iriam fazer um escândalo ou coisa assim. Acho que iriam até gostar. O cara também deve ter raciocinado assim.

Já fazia pelo menos uma meia hora que estávamos naquele esfrega-esfrega e a cada movimento dele eu sentia a minha vagina contraindo, eu estava tremendo. Na verdade pelo ritmo que ele estava percebi que eu não agüentaria muito tempo.

Teve uma hora que ele ele passou o braço pela minha cintura, me segurou
firmemente, flexionou os joelhos e mexeu como se estivesse me fodendo de
verdade, de baixo para cima, colocando tudo bem fundo de uma só vez. Mais do que eu nenhum outro momento, naquela hora eu me senti EXATAMENTE como se a gente estivesse transando de verdade. Senti uma contração tão forte e tão demorada no colo do meu útero (parecidas com aquelas que a gente sente quando está gozando, só que bem mais longa), que eu fechei os olhos de tesão.

Quando abri dei de cara com um dos homens a nossa volta me observando atentamente. Ao mesmo tempo que aquilo me excitou ainda mais, me deixou assustada, achei que ele tinha sido muito ousado, imaginei que todo mundo no ônibus tivesse percebido e com um movimento mais brusco tentei (inutilmente) se soltar do braço dele, ele me segurou ainda mais firmemente e sussurrou no meu ouvido que estava tudo bem, para eu fingir que éramos namorados e beijou o meu pescoço, a minha nuca, continuando com o mesmo tipo de movimento, de baixo para cima, exatamente como se estivesse dentro de mim, cada vez mais rápido, cada vez mais forte... As sensações no meu corpo inteiro e principalmente no fundo da minha vagina foram aumentando num ritmo quase insuportável até que eu também não agüentei mais. Eu tinha vontade de chorar, de urrar de tesão, mas sabia que eu não podia de jeito nenhum. Então fechei os olhos, com cada músculo do meu rosto
contraído, minha respiração a mil. Acho que eu tive o orgasmo mais longo do mundo. Quando terminei eu mal conseguia ficar em pé.

Acordei como quem volta ao mundo dos vivos, abri os olhos e me dei conta de que tinha feito aquilo tudo dentro de um ônibus lotado, o ônibus que eu pegava todo dia para trabalhar, olhei em volta e para o meu absoluto horror, ele estava praticamente vazio. Só havia umas três ou quatro pessoas em pé, além de nós.

Quase morri de vergonha, dei sinal e ia saindo correndo mas o cara me segurou e eu me virei. Era a primeira vez que eu olhava para ele, ele era um cara de uns quarenta anos, moreno, não era bonito mas absolutamente sensual. Gostei dele.

Num impulso beijei ele na boca (não podia deixar de beijar um cara daqueles) e desci do ônibus. Ele veio atrás, perguntou meu nome, pediu meu telefone e eu dei o número errado (me arrependi depois), nunca mais nos vimos, e principalmente, nunca mais voltei a pegar aquele ônibus naquele horário.

-

MEU PRIMO TEM TESÃO POR MIM
Autor Desconhecido
Bem, isso aconteceu no carnaval , quando eu e meus primos viajamos para o litoral sul da Paraíba. Lá, à noite, tinha muitos barzinhos, com música típica de carnaval. Tinha aqueles bares onde iriam apenas os mais “elite”, outros onde iriam as domésticas, pescadores, enfim “rústicos”.

Meus primos resolveram conhecer um desses bares e me levaram junto. Ao chegar lá, me espantei como eles eram explícitos, logo num cantinho da parede, vi uma garota fazendo oral num velho. Não nego que senti muito desejo.

Fomos pra casa. Eles disseram que aquele lugar não era pra mim. Não resisti e no outro dia, voltei lá, sozinha! Havia bebido um pouco e, logo na entrada, fui cercada por um grupo de rapazes. Eles foram me empurrando de um para o outro.

Aí, um senhor me puxou e me levou para um banco. Sentou-se e ficou me olhando, perguntou se eu ia ficar parada e me puxou pra cima dele. Baixou o meu top e começou a chupar meus seios. Aquilo estava me excitando muito. Ser tratada como uma prostituta... Que delícia. Esse senhor abriu a calça e me pediu pra rebolar em cima do pau dele. Não hesitei, abaixei minha saia, tirei a calcinha e sentei em cima dele. Que delícia... Nunca me excitei tanto.... estava toda molhadinha.

Rebolei, subi, desci... ele estava prestes a gozar... parei e pedi que ele
gozasse nos meus seios. Uau...

Surpresa minha, quando me virei, dou de cara com meu primo, me olhando... ele saiu me puxando, me levou pra casa. Não falava uma palavra. A casa estava vazia.

Me enfiou debaixo do chuveiro, disse apenas para me lavar, que eu estava imunda. Tirei a roupa e tomei banho, na frente dele. Não sabia o que esperar. Então me enrolei numa toalha e saí do banheiro.

Ele me seguiu até o quarto. Quando ia perguntar se ia ficar me olhando,
subitamente ele me jogou na cama. Tirou a toalha e ficou olhando o meu corpo, nu... molhado.
Beijou minhas pernas, minhas coxas, subiu e beijou minha boca. Disse que iria me dar prazer como nunca antes tinha sentido...

Explorou cada centímetro de minha vagina, gozei inúmeras vezes... Me virou de costas, pôs um travesseiro embaixo de mim e afastou minhas pernas. Introduziu aquele pênis delicioso no meu cuzinho virgem.... Nossa, até hoje sinto calor só de lembrar. Ele ficou lá, em cima de mim, por minutos, e eu... quase chorando... um misto de dor e prazer indescritíveis...

Como aquela transa... acho que não terei igual!

-

A GARÇONETE GOSTOSA
Autor Desconhecido

Isso que vou lhes contar aconteceu à 8 meses atrás.Me chamo Chris(nome
fictício),tenho 19 anos,sou branco,cabelo longo,liso e castanho,olhos
castanhos,177 cm,coxa grossa e um pau de 20 cm por 7 de grossura.Tenho uma banda na qual canto,toco gaita,violão e guitarra. Dona Fátima,mãe de Fabiana(minha amiga),ia abrir um bar e pediu q eu fosse lá no dia da abertura pra dar uma prestigiada.Aceitei,e aproveitei e combinei com ela de eu tocar lá nesse dia(o cachê seria a comida),eu e o guitarrista da banda,André.Eu na voz,violão e gaita e ele voz e violão.

Chegando lá,falei com Dona Fàtima,e qual não foi a minha
surpresa ao me deparar com Fabiana ajudando a servir no bar.Abracei-a e dei um beijo no rosto dela.Ela disse:

-Nossa kra,q bom q vc veio.Tava morrendo de saudades de vc!
-Eu tbm tava,Fabi!,disse eu.Ela tem 17 aninhos,1,60 cm,olhos castanhos
claros,seios médios grandes,durinhos,biquinhos rosados,cintura fina,bumbum grande,durinho,coxas grossas e uma boca linda.Lábios nem tão grossos nem tão finos,voz macia,encantadora.Ela é deliciosa!!Já tínhamos ficado bem antes disso,umas 3 vezes,mas nada de muito profundo.Sempre gostamos bastante um do outro.

Voltando à história,André e eu sentamos numa mesa pra beliscar alguma coisa e chamei(advinhem quem?)Fabiana pra trazer.Ela trouxe e perguntei:
-A garçonete vem junta?Ela riu e disse baixinho:
-Quem sabe?Comemos uma coisinha bem gostosa,pois a mãe dela tem uma mão ótima pra cozinhar.

Depois de umas cervejas,fomos lá pro meio tocar.Tocamos várias músicas,e depois ,a Fabiana veio até mim e disse que queria cantar Anunciei no microfone:
-Galera,atenção por favor!Agora vcs vão ouvir a melhor voz desse bar...Só não é melhor q eu...(Risos gerais)Sério agora,com vcs,Fabiana cantando Águas de Março!Ela riu pra mim e comecei a tocar.

Confesso que fiquei bastante emocionado e feliz de vê-la cantando acompanhada só pelo meu violão.Ao fim,todos aplaudiram e ela me abraçou bem forte,bem gostoso.

Bom,o tempo passou,o expediente foi chegando ao fim.Quando acabamos de tocar,André foi embora pois tinha algumas coisas pra fazer.Fiquei conversando com mãe e filha.Elogiei muito o bar,a comida,o serviço e a voz da garçonete.Aqui cabe dizer que,apesar de ambas as
famílias(a minha e da a Fabi) terem boa condição de vida,sempre foram chegadas nesses bares.

Dona Fátima foi pra dentro lavar algumas coisas e eu e Fabi ficamos conversando.Quando já estava pra sair,perguntei pra ela:
-É...amanhã vc vai trabalhar tbm?
-Não,foi só hoje pra ajudar minha mãe aqui.
-Bom,então vc quer sair amanhã(sábado) comigo?
A resposta dela veio acompanhada daquele belo sorriso:
-Quero sim!

Combinamos de pegar um cinema juntos.Fui de carro na casa dela no horário combinado.Abri a porta,o irmão dela me atendeu,entrei e ele me disse para esperar um pouco q daqui a pouquinho ela desceria.Fiquei sentado no sofá,e dali uns 2 minutinhos,ela desceu.Tive um espanto risonho:ela usava um sainha super sexy,que deixava um pouco de sua fenomenal coxa amostra,uma blusinha levemente decotada e uma outra tipo um agasalho,só q bem mais leve.E eu,bobo q só vendo,perguntei:
-Moça,vc sabe onde está a Fabiana?Ela riu e me disse:
-Seu bobo,pára com isso...Fui para o pé da escada,tomei-lhe a mão e beijei a mesma.

Me despedi do pessoal e fomos para o shopping.Sentamos numa mesinha,um do lado do outro,e meu tesão só aumentando por ela.Acho que dava até pra perceber o volume.Ela disse uma hora q "tinha me esquecido com é bom sair com vc,Chris..."Perguntei pra ela se ela estava gostando de relembrar e ela disse q estava adorando
Falei:
-Mas tem uma coisa q eu ñ esqueço e quero de novo...Ela perguntou "O
q?"Levantamos,paguei a conta e a levei tipo numa sacada do shopping e disse:
-Isso aqui,ó...E dei um beijo nela.Ela achou um pouco estranho da minha
parte,mas tbm gostou muito.Ah!Como era gostoso sentir de novo aquela língua na minha.O gosto da sua boca misturado com o da minha.Paramos e ficamos nos acariciando.Ela me perguntou:
-Vc está fazendo isso só por hoje,né?Ao que eu respondi:
-Claro q não...Vc sabe q eu gosto de vc,e eu sei muito bem q vc gosta de
mim.Fabi,ontem quando te vi,reparei q vc está mais linda,mais gostosa.E vc tbm continua a melhor companhia do mundo,pra sair e conversar,se divertir.
Ela fez aquela carinha feliz mais linda do mundo q só ela sabe fazer e disse:
-Obrigada pelo elogio...Adorei o "mais gostosa"...Você tbm tá maravilhoso.E vc tá certo,eu tbm te adoro.

Nos beijamos mais um pouco e fomos para o cinema de mãos dadas,agindo agora como um casal q nos tornamos.Nem prestamos atenção direito no filme,prq ficamos nos beijando o tempo todo.E logo no comecinho do filme,já coloquei minha mão na coxa dela,e como ela não reclamou,deixei lá,fazendo muio carinho nela o tempo todo.

Quando o filme acabou,voltamos pra sacada tão especial.Ela encostou de frente no párapeito e eu a agarrei por trás,roçando meu pau duro na bundinha dela.Ela se arrepiou todinha na hora,se virando de frente pra mim.Olhei para os seios dela,e os biquinhos estavam duríssimos.Ela me abraçou com vergonha,e eu perguntei baixinho no ouvido dela:
-O que foi,meu anjo?Acendeu o farol?Ela me deu um beijo e disse que sim,ainda um pouco envergonhada.Gostaria de esclarecer que nós sempre tivemos essa intimidade tão gostosa.

Nós rimos,fomos para o estacionamento,e no caminho pra casa,parei numa rua mais escura.Fomos para o banco de trás do carro,bem espaçoso,mas não sem antes ela perguntar o q era aquilo tudo.Começamos um amasso delicioso.Gemíamos bastante,dizendo:
-Ai,que gostoso...Te amo!Hummm...Nesse meio tempo,tentei colocar a mão na bucetinha dela.Ela segurou a minha mão e disse:
-Amor,calma...Hoje é o nosso primeiro dia juntos,não quero ir tão rápido.

Concordei com ela e continuámos a nos beijar,quando,para minha
felicidade,ela levantou um pouco sua blusinha para q eu pudesse apreciar e saborear um pouco seus peitos gostosos.Fui apertando e  eijando,dizendo q a amava muito,q ela era a melhor namorada do mundo.Ela gemia baixinho e gostoso,se contorcendo de tesão.Mordisquei bem de levezinho seus biquinhos,ela adorou.

Abaixou a blusa e disse sorrindo q a festa tinha acabado.Decidi retribuir
com todo o carinho q poderia dar naquele momento.Durante uns 5 minutos,ficamos abraçadinhos,ela com a cabeça no meu peito,nos beijando carinhosamente.

Chegamos em minha casa,contamos a novidade para minha família,q por adorarem ela e sua família,ficaram muito felizes.Fizemos o mesmo na casa dela,e a reção foi a mesma.Ficamos nesse tesão e love por umas 2 semanas,quando ela me ligou e disse:
-Querido,sábado passa aqui em casa de tardinha?Quero sair com vc e meu irmãozinho.Ele gosta tanto de vc...
-E a irmã dele,gosta de mim tbm?
-Ela é apaixonada por vc...
-Te amo muito...Beijo!

Fizemos isso,e já era de noite,quando o irmãozinho dela pegou no sono.Fomos para a casa dela,colocamos ele pra dormir.Ela colocou um shortinho curtíssimo,bem enfiado no rabinho gostoso dela e um top tbm nem um pouco grande.Ficamos um pouqinho,quando perguntei pelos pais dela.Ela respondeu com carinha de anjo e safada:
-Eles viajaram...E como meu irmão tá dormindo,estamos sozinhos...Gostou da surpresa?Respondi com um beijo delicioso,com bastante tesão.Fui tirando o topzinho dela,acariciando os seios durinhos...Ela colocou a mão por dentro da minha bermuda libertando meu pau.Ela pegou minha mão e disse q ia me dar a segunda surpresa da noite:um passeio pela bucetinha
dela.Depiladinha,molhadíssima.

Tirei o short dela e caí de boca,sugando seu suco gostoso...Que néctar maravilhoso!Ela disse q agora ia vir a principal surpresa da noite...Ela disse,já sentada de frente pra mim:
-Meu amor,eu sou virgem...Faz devagarzinho,tá bom?Respondi q faria com todo carinho do mundo...Deitei ela no sofá e voltei a chupar sua buceta
saborosa,apertadinha e só minha...Ela pedia mais,eu enfiava um dedo e continuava chupando.Ela gemendo e gozando à cada segundo parecia.Ela pediu para eu levantar,tirou minha bermuda e minha cueca.Pegou meu pau com a mão e começou a bater uma pra mim,para logo depois chupar bem gostoso.

No começo foi meio desajeitada,mas pegou a manha rapidinho.Ela disse que queria "aquela posição q eu ficou por cima de vc,e vc me chupa e eu te chupo ao mesmo tempo..."Falei q se chamava "69" e lá fomos nós...Eu tinha uma visão paradisíaca:aquela bucetinha abertinha e toda suadinha na minha frente,à minha disposição e o cuzinho dela,delicioso.Fui chupando a buceta e dedilhando o rabinho dela,q gemia,rebolava e esfregava a buceta na minha cara,quando gozou lucinadamente...Saímos dessa posição,eu a peguei no colo e levei-a para o seu quarto,q tem cama de casal...Deitei por cima dela e comecei a esfregar meu pau na entradinha da xana.

Ela rolou e ficou por cima de mim,dizendo:
-Me come assim,amorzinho...Atendi o seu pedido,afinal não conseguiria negar isso pra ela.Ela começou a descer devagarzinho,e quando tinha entrado até um pouco mais da metade,ela respirou fundo e se soltou.Deu um gritinho de dor e tesão,pois seu hímen havia rompido.Depois disso,ela se soltou mais e foi cavalgando meu pau,gemendo bem gostoso,alisando meu peitoral e o próprio peito,tbm levando minha mão ora em seus seios,ora no seu cuzinho.Quando disse q ia gozar,ela acelerou o movimento e enchi ela de porra,ao mesmo passo q ela gozou.

Ela desabou em cima de mim,agradecendo pela noite maravilhosa, eu fazia o mesmo.Ela deitou do meu lado,ficamos nos beijando e depois de um tempinho,meu pau ficou duro novamente.Ela começou um boquete sensacional,mas pedi pra ela parar e ficar de quatro com a bundinha bem arrebitada.Passei a mão na buceta dela e esfreguei no cuzinho pra lubrificar mais.Chupei um pouco e escontei minha cabeçorra no buraquinho dela.Comecei a pincelar,ela gemia e pedi! a pra fazer com bastante carinho tbm,prq meu pau é muito grosso.Fui enfiando aos
poucos pra ela ir se acostumando.Quando entrou tudinho,ela pediu pra bombear devagarinho e com o tempo aumentar a velocidade.Fiz isso,e ela achando delicioso,eu apertando suas tetas,beijando o pescoço...Na hora q ia gozar,tirei e mandei ela abrir a boca e me punhetar,o q ela faz direitinho.Gozei na boca,face e seios dela,q limpou toda a porra do corpo e ñ deixou uma gota no meu pau.

Descemos pra pegarmos as roupas e voltamos pro quarto,onde dormimos
agarradinhos,ainda pelados.Acordei e fiquei fazendo carinho nela e dando
beijinhos de leve,quando ela acordou.
-Bom dia,Bela Adormecida...
-Bom dia,meu Príncipe Encantado...Rimos e nos beijamos.Perguntei se ela estava bem,e ela disse q nunca tinha se sentido tão bem na vida toda.Ela me disse ainda q "não tem problema vc ter gozado dentro de mim prq eu ñ tô no meu período fértil e tomei anticoncepicional..."

Perguntei à ela onde ficava cada coisa na cozinha,coloquei uma bermuda,dei-lhe um beijo e desci.Depois de uns 20 minutos,voltei com uma bandeja de café da manhã pra nós dois.Agradeci à ela pela noite maravilhosa q tivemos e,depois de tomar café,tomamos banho juntos,com direito a um boquete,uma chupada na buceta e cuzinho dela e um iníco de penetração na xoxota dela...

Fiquei a manhã inteira lá,namorando e brincando com o Douglas,irmão dela.Estamos juntos até hoje,mais apaixonados do q nunca,dia 15
faremos 9 meses de namoro e somos muito felizes.Realizamos várias
fantasias,inclusive a minha de transar com ela e mais outra...Gostamos tanto q de vez em quando rola...

Esse foi o meu conto,espero q vcs gostem dele ...

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

DOIS CONTOS MUITO SACANAS

A fantasia do Rodrigo

Autor: Menina Superpoderosa

E-mail: powerpuff_girl@uol.com.br
gifs_speed_053

Conheci a Aline quando mudei para o Tatuapé. Era minha vizinha. Ela estava mal na escola e me ofereci para dar um reforço. Só tinha 16 anos, mas apesar da diferença de idade (eu tinha o dobro da idade dela), aos poucos ficamos amigas, acho que até mesmo por eu estar acostumada a lidar com adolescentes, eu sempre me dava muito bem com eles. Na verdade a Aline me parecia tão madura, tão vivida que as vezes que me esquecia de que estava conversando com uma menina.

 

Na época eu namorava o Rodrigo, pouco coisa mais velho do que eu, e depois que a Aline eu ganhamos mais intimidade uma com a outra, sempre que transávamos eu acabava contando tudo para ela com detalhes. Adolescentes são sempre curiosos por sexo, e eu sempre falei sobre isso com a maior naturalidade. Eu dizia como ele era, descrevia os braços fortes e as pernas lindas dele, o bumbum peludinho, o jeito dele de querer transar onde quer que estivéssemos, de sussurrar no meu ouvido me convidando para "fazer bem gostoso", de como eu derretia quando ele acariciava os meus seios, como ele mexia gostoso quando eu estava por cima.

 

No começo eu só queria alguém para dividir essas experiências --eu adoro falar sobre sexo-- mas aos poucos eu fui percebendo que ela estava sempre curiosa por mais detalhes, que os olhos dela brilhavam de tesão enquanto eu falava e eu provocava ela. Num desses dias em que ela estava numa dessas camisetinhas que me tiravam do sério, eu comentei "casualmente" que o Rodrigo adorava mulheres de seios bem bicudinhos, como os dela, que ele dizia (era verdade) que dava vontade de chupar e morder bem devagarinho até ela gozar. Quando eu disse isso percebi que ela ficou sem fôlego. Aquela vadia adorava uma sacanagem....rss

 

Como o Rodrigo era tarado por meninas de 16 anos --a idade dela--, eu não podia deixar de pensar nele quando estávamos juntas.

Ele trabalhava muito na rua, sempre que via uma adolescentezinha mais bonitinha ele chegava a noite e corria para a net para procurar uma fulana parecida para me mostrar como ela era, me contava onde a tinha conhecido, às vezes tirava o pau para fora e se masturbava olhando para a foto dela, outras vezes eu masturbava ele enquanto ele pensava na tal menininha. Eu sabia e levava aquilo na boa, acho que todo mundo no fundo é meio pervertido. Pelo menos eu e o Digo não éramos hipócritas, havia muito diálogo entre a gente, a gente levava as fantasias um do outro na boa (eu também tinha as minhas, claro), a apesar de termos prometido ser fiéis um ao outro enquanto desse, a gente sabia que sexo era sexo e que o relacionamento da gente era outra coisa.

 

Eu confesso que imaginar ele fazendo com outra mulher o que ele fazia comigo além do ciúme (óbvio) me dava tesão. E eu sempre usava aquela fantasia dele para brincar com ele, para provocar. Às vezes me registrava no ICQ com um nick diferente, como se tivesse 16 ou quase 16 anos, contava mil estórias, mandava fotos de alunas, sobrinhas e amigas bem novinhas dizendo que era eu, fazia ele quase estourar os culhões de tanto se masturbar. Ele nunca soube --com certeza-- quem é que estava mandando as mensagens para ele.

 

E se ele sentia tanto tesão por meninas completamente anônimas, simplesmente por terem 16 anos e serem bonitinhas, imagine o que não sentia por uma que de tanto ouvir falar já parecia tão familiar.....

A Aline não era do tipo esquelético, pelo contrário, deveria estar uns quatro quilos acima do peso ideal, mas não chegava a ser gordinha. E tinha um par de seios que me tiravam o sono. Eu nunca tinha visto nada assim. Eram cones perfeitos, bem pontudinhos, de tamanho médio, não era tão duro quanto os seios das garotas da idade dela, que pareciam pregados no tórax, pelo contrário, ela andava sempre com camiseta folgada, sem sutiã, e quando andava eles balançavam um pouquinho.

 

Eu achava aquilo absolutamente sensual, me dava uma vontade louca de tocar neles, de sentí-los na minha mão, de ver como eles eram sem todo aquele pano. Não que eu seja lésbica --pelo contrário, sou louca por sexo, por homens--, mas eu gostava de olhar para ela, de conversar com ela, de imaginar ela nua, e o pior de tudo, de imaginar ela e o Rodrigo juntos. Ao mesmo tempo que aquilo me dava um ciúme quase insuportável, me excitava, eu vivia me masturbando pensando naquilo.

 

Assim como eu falava muito dele para ela, eu adorava também falar dela para ele, de brincar com ele, fazê-lo enxergar a Aline pelos meus olhos, adorava ver o pau dele ficar duro por ela. Eu contava das nossas conversas, das experiências dela na cama, dos mamilos dela que pareciam estar sempre com tesão. Na verdade aquilo para mim era só uma brincadeira mesmo. Às vezes acontecia de a Aline atender o telefone quando o Rodrigo me ligava em casa, eu percebia que ela caprichava na voz quando reconhecia a voz dele e eu ficava de cabelo em pé. Deixar os dois fazerem amizade ou se encontrarem pessoalmente é algo que jamais passou pela minha cabeça.

 

Um dia quando estávamos na casa dela, eu, ela, sua irmã e cunhada, ela disse que estava com um corrimento, uma coceira e um ardor insuportáveis na vagina, que não sabia o que fazer e pediu para que déssemos uma olhada. Tirou a calcinha, deitou com as pernas abertas e me chamou. Eu me senti extremamente sem jeito e tentei brincar, disse que "não queria ver aquela coisa feia" de jeito nenhum. Ela riu, disse que eu era uma boba e eu fui. Quase morri de tesão quando olhei, ela tinha uma buceta bem gordinha, com poucos pêlos castanhos bem claro e lábios e clitóris rosa bem clarinho, grandes, e claro, a entrada da vagina estava realmente irritada. Depois de olharem a cunhada e a irmã dela começaram a rir, dizendo que os lábios vaginais dela eram enormes, que pareciam uma flor. Mais tarde conversamos sobre aquilo, ela queria saber se era normal as mulheres terem lábios vaginais daquele tamanho e eu disse que sim, garanti que ela tinha uma bucetinha linda --e não menti, ela era linda de morrer mesmo.

 

Na verdade não dá para descrever o que eu senti vendo a buceta dela aberta, tão perto do meu rosto. Eu nunca tinha visto uma mulher tão de perto, naquele ângulo, pelo menos não "ao vivo". Eu fiquei morrendo de tesão (que pena que não estávamos sozinhas) e de medo que ela percebesse. Eu dei uma desculpa e fui para casa. Passei a tarde me masturbando --porra, eu gozava, gozava e continuava com tesão.

 

Quando o Rodrigo chegou eu contei para ele, ele morreu de rir, perguntou como ela era e eu contei, com detalhes. Conversei mais um pouco com ele e fui preparar umas aulas e deixei ele no computador. Acabei pegando no sono e quando acordei peguei ele com a tela cheia de xanas de todos os tipos e tamanhos. Quando dei risada e perguntei o que diabos ele estava fazendo ele me perguntou com qual delas se parecia a da Aline. Quando achei uma bem do jeitinho da dela ele ficou olhando por uns minutos, enfiou a mão na minha calcinha, ficou passando os dedos entre os lábios da minha buceta e disse que queria dar uma espiada na minha, para comparar.

 

Bem, o Digo e eu tínhamos um pacto de obedecer qualquer coisa sem questionar quando o assunto fosse sexo, (isso era divertido) e eu tirei a calcinha e sentei na beira do sofá com as pernas bem abertas, e ele ajoelhou no chão, com as duas mãos abriu bem a minha "menina" e começou a lamber e a chupar o meu clitóris enquanto enfiava dois dedos dentro da minha vagina. Eu percebi claramente por onde andavam os pensamentos dele naquele momento e resolvi brincar um pouco. Apaguei a luz, puxei ele para cima de mim, e beijei ele de um jeito bem diferente do que eu costumava beijar --eu tentei beijá-lo como eu imaginei que a Aline o faria. Imitei o jeito dela falar e fui me referindo a mim mesma na terceira pessoa, dizendo que eu tinha sido boazinha em emprestar o Rodrigo para ela, que eu tinha razão, ele era mesmo um tesão. Ele entrou na brincadeira na hora, dizendo que ela (a Aline, ou seja, eu) era linda, que mesmo sem conhecê-la pessoalmente tinha batido mil punhetas por ela, que ia fazê-la gozar do jeitinho que eu gozava. E colocou as mãos no meio das minhas pernas para guiar o pau dele para dentro da minha vagina.

 

É claro que eu não iria deixar ele acabar a coisa assim tão rápido, e fingi que era virgem, disse que não queria transar, só brincar, que eu nunca tinha transado com ninguém. (Porra, eu merecia um Oscar!) O Rodrigo ficou louco. Não dá para imaginar como é difícil segurar um cara com tesão. Eu tenho pernas fortes, mas quando percebi que ele estava quase conseguindo abrí-las eu pulei da cama e sai correndo, ele atrás de mim, os dois pelados pela casa feito duas crianças, até que ele me agarrou --ele é bem mais forte e ágil do que eu--, me jogou na cama, pôs o pau na entrada da minha vagina e empurrou o pau para dentro. Bem, naquela hora ele descobriu que não se pode estuprar uma pompoarista. Eu contraí o mais fortemente que eu consegui os músculos da vagina, do ânus e da uretra, "tranquei" a minha “menina”, deixei ele tentar entrar por uns bons minutos e depois empurrei ele e sai correndo de novo, e ele me agarrou de novo e, bem, resumindo, entre tentativas de penetração e fugas eu deixei ele implorando para entrar na minha vagina por quase três horas. Bem mais tarde, quando eu finalmente relaxei os músculos o suficiente para ele penetrar minha vagina de “moça virgem”, ele gozou quase que instantaneamente, apesar do ótimo controle que ele geralmente tem.

Mas enfim, eis que numa bela sexta-feira, tempos depois, aconteceu o que só eu não previ: a Aline –a original-- apareceu em casa para bater um papinho e deu de cara com o Rodrigo, que tinha aparecido para me ver. Fiquei sem ter o que falar, já pressentia um arquipélago de chifres na minha cabeça, mas como não dava para esconder o Digo embaixo da cama nem mandá-la para o espaço eu resolvi cooperar com o inevitável e convidá-la para entrar.

 

A Aline já foi chegando e conversando com o Rodrigo, que também é bem extrovertido. Ela sentou no sofá com a gente e ficamos bebendo cerveja (na verdade eles ficaram porque eu queria estar bem sóbria e aliás, detesto cerveja) e jogando conversa fora. Eu percebi que os olhos dele não desgrudavam dos biquinhos dos seios dela. Eu não podia culpá-lo, ele já havia me ouvido falar deles mil vezes e já tinha visto eu me masturbar por eles outro tanto de vezes, a curiosidade dele era mais do que natural.

Como ele percebeu que eu estava tranqüila aos poucos ele começou a bancar o galanteador, como se estivesse –e na verdade estava, pelo menos parcialmente—paquerando a gente. Estava falando com voz macia, caprichando no sorriso, fazendo gracinhas, de vez em quando abraçava uma ou outra, fazia carinho nos braços, na cintura, no ombros, nas mãos enquanto falava, elogiava o cabelo de uma, o batom da outra, e de vez em quando olhava para mim para ver se eu estava aceitando numa boa, e aí bebia mais um gole de cerveja e avançava mais um pouquinho.

 

Às tantas da noite, enquanto olhava bem dentro dos olhos dela de um jeito bem significativo, ele passou o braço pelo meu ombro e começou a massagear o meu seio por cima da blusa, beliscando bem de leve o meu mamilo até ele ficar quase estourando de tão duro, como que dizendo a ela o que ele gostaria de estar fazendo naquele momento.

 

Eu sei que estava pensando num jeito de transar comigo e com a Aline ao mesmo tempo, porque ele sabia que eu morria de tesão por ela só que não tinha as manhas de transar sozinha com uma mulher, e claro, ele adoraria ver duas mulheres transando. Ela com certeza toparia na boa, só que eu gosto de reinar absoluta na cama. Com eles eu ficaria meio que sobrando, primeiro porque era "comida de todo dia" como se diz por aí, já que a gente namorava e podíamos transar quando quiséssemos e ela era a novidade da noite, e segundo porque ele era fissurado por garotas da idade dela, era a grande fantasia da vida dele. Achei que ele curtiria muito mais e a gente preservaria melhor o relacionamento da gente se eu ficasse de fora.

 

Enquanto conversávamos e ríamos juntos eu percebia a mão dele de vez em quando escorregando no seio dela, "de brincadeira", uma ou outra encoxada "acidental" e uns abraços "carinhosos" que apertavam o peito dela contra o dele. É claro que eu fingi que não percebia nada, mas sentia o meu clitóris latejando e absolutamente duro de tesão. E pedi desculpas e disse para eles ficarem a vontade, poderiam pegar mais cerveja na geladeira se quisessem, mas que dali a pouquinho estaria começando na TNT um filme que eu estava louca para rever.

 

Com a desculpa de não conseguir ler a legenda por ser míope, deitei no sofá menor, mais próximo da TV e deixei os dois sentados no sofá maior. Eles decidiram assistir o filme comigo –assistimos de luz apagada-- e ficamos os três em silêncio. Pouco depois eu fingi ter caído no sono.

 

Acho que o Rodrigo sacou que eu estava acordadíssima, mas a Aline não. Um tempinho depois que eles "perceberam" que eu tinha adormecido eles começaram a conversar e eu vi que ele tinha pego na mão dela, e depois na perna. Ela ficou preocupada comigo, com medo que eu acordasse e ele disse que eu tinha um sono pesado, que quando caia no sono não acordava nem que passasse um desfile de escola de samba. E começaram a se beijar. Ele beijou os seios dela por cima da camiseta –ou pelo menos me pareceu assim--, por baixo dela, tirou a roupa dela e em seguida despiu-se, beijou a corpo dela todinho, a buceta, fez ela gozar duas vezes, com gritinhos; meteu o pau na boquinha dela e fez ela chupar e transaram no meu sofá, na minha frente, a menos de dois metros de mim, enquanto ia gemendo, ofegando, elogiando cada pedacinho do corpo dela, dizendo o que estava sentindo e fazendo ela conversar com ele. Eu saquei que ele queria que eu acompanhasse passo-a-passo tudo o que estava acontecendo por ali.

 

Apesar de não poder me masturbar para não dar na cara que eu estava acordada e tirar a espontaneidade de transa deles, eu não agüentei e gozei feito um vulcão --mas milagrosamente em silêncio-- quando eu ouvi ele gozando. Pela intensidade dos gemidos dele eu percebi que ele tinha gozado prá caramba também.

 

Mais tarde, quando ela foi embora, o Rodrigo veio me sacudir, para ver se eu realmente estava dormindo. Claro que eu fingi que estava e ele que tinha acreditado. Então ele se deitou do meu lado --ele é um cara que conhece bem a alma feminina!-- e começou a me fazer carinho, a me chupar e a me masturbar até eu "acordar" para transar com ele, e ficou dizendo que era linda, que eu tinha um rosto lindo, que era louco por isso e por aquilo em mim, e ficamos o resto da madrugada transando devagarinho, ele fez tudo o que eu gostava e do jeito que eu gostava na cama, me fez gozar mais de mil vezes. E claro, nunca jamais tocamos naquele assunto. Nem mesmo depois de termos terminado. É como se nada daquilo jamais tivesse acontecido.

 

(É evidente que quando se pensa de cabeça fria não é lá muito agradável dividir seu homem com outra mulher, e não tem carinho no mundo que faça isso parecer diferente, mas se depois daquilo tudo ele virasse as costas e fosse dormir acho que eu iria me sentir péssima. Eu apreciei a delicadeza e a sensibilidade dele em se preocupar em como eu estava sentindo.)

 

No dia seguinte a Aline me chamou de dorminhoca e me cumprimentou como sempre, eu tentei parecer natural, mas eu não conseguia esquecer que ela tinha transado com o Rodrigo --e que ele tinha adorado--; chame isso de inveja, de ciúme ou do que for, mas dali prá frente achei um jeito de estar sempre apertadíssima de horário e parei nossas aulas e a nossa amizade por ali...

 

-

PROVOCANDO O PROFESSOR
Autor Desconhecido

gifs_speed_374 Estava eu, Anita, tendo minha tao esperada aula de Ingles. Na epoca, estava com 18 anos,cabelos compridos, os olhos verdes,uma bunda linda, seios rosados....
Quando chegou aquele monumento...meu professor de Ingles. No colegio era obrigatorio usar o uniforme, uma blusa branca com o emblema do colegio e uma saia curtissima, no qual eu adorava. Sempre gostei de provocar os homens, e o meu professor era um deles... Chegou dizendo que haveria uma leitura e que valeria pontos..assim começou meu tesao...cada aluno que lia...receberia as
notas e seriam dispensados para o intervalo....Enquanto estava começando o primeiro aluno a ler...ele me fixou o olhar,pois sabia que provocara tesao nele....Fingindo ingenuidade coloquei o lapis na boca...olhando para os olhos  dele....comecei a passar a lingua no lapis fingindo ser o pau dele...a esta hora ele nem prestava mais a atenção para o aluno que lia ao seu lado...percebendo entao o seu tesao...abri minhas pernas....mostrando minha calcinha branca e minuscula que mal cabia no meu rabo....chegou minha vez de ler....sentei ao seu lado e pude percerber ´que já tirara seu pau para
fora...nossa que delicia...como eu queria sentar e foder com ele ali mesmo...comecei a ler ....ele,discretamente começous a passar a mao em minha coxa....foi subindo ate chegar em minha boceta...que estava molhadissima....ajeitou minha calcinha de lado e enfiou seu dedo...deslizava e
eu ja falava em ingles palavras desconexas...provocando ainda mais.... De repente ele dispensou e pediu que eu ficasse para poder me ajudar no Ingles no Vestibular...claro que prontamente aceitei....a sala ficou vazia....e, ele do meu lado ja nao aguentando mais.....falou: Sempre tive vontade de te comer bem
gostoso....sempre bato uma punheta por voce...vc me enlouquece.....nisso, nao podia esperar e fui descendo minha boca naquele pau tesudo...como era delicioso....so nos dois na sala....enquanto eu chupava ele me fodia com os seus dedos...na minha boceta.! ..no meu rabinho... Nao aguentei....fiquei de quatro para ele que prontamente atendeu meu pedido...começou a passar a cabecinha daquele mastro em mim....descida e passava a lingua em meu grelinho...no meu rabinho, e para minha
alegria.....comecou a colocar bem gostoso.....ja nao aguentava mais.....senti suas maos em minha cintura....me apertando...quando notei que seus movimentos aumentaram...comecou a me foder mais...rapido...eu gemia gostoso, falava para ele me foder mais....isso mete na minha boceta gostosa...abri minha bunda....goza gostoso....ele enlouquecia,....e o medo de sermos pegos aumentava
ainda mais o nosso tesao.. Quando me virou de frente ao seu corpo....me deitou em cima da mesa....e me disse: Sempre tive vontade de comer seu rabo......hoje vc vai pagar todo o tesao que me fez passar.....e eu adorava aquilo....ele enfiou seu pau bem devagar na minha boceta....chupava meus peitos...metia mais.....metia mais....quando ja estava para gozar..tirou seu pau e começou a lubrificar o meu cuzinho....que ja estava piscando de tesao, pois adoro sexo anal,enfiou...começou a meter com vontade....saboreando aquele rabinho apertado....umdio...gostoso... Começou a meter mais....isso, me fode mais....come meu rabo...fode gostoso nele....ele me agarrou e gozou intensamente no meu cuzinho....enquanto ele gemia em meu ouvido, gozava mais a cada estocada que ele me dava. Depois de um certo tempo, havia terminado o horario do intervalo e, a proxima aula seria com ele novamente...... Claro que, ele percebendo que haveria mais sacanagens , de ambas as partes, pediu aos alunos que ficassem a vontade enquanto me ajudaria nos estudos... Assim, os alunos nada
desconfiaram e para minha alegria....cada vez que ele falava ou comentava sobre a materia..eu batia uma punheta bem gostosa para aquele homem tesudo....essas punhetas que nos fazem perder os sentidos..... Terminou a aula....e ate hoje,nunca mais encontrei comm aquele professor...hoje, as pessoas perguntam porque sera que eu adoro ingles? 
Tem alguma duvida?  Beijos Anita

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

REENCONTRO COM A GOSTOSURA

conto de Gabriel
narcisosantos@hotmail.com
 135572

A história que vou relatar aconteceu a algum tempo atrás.
Eu tinha uma auditoria prá fazer num outro Estado.Iria ficar ali por mais ou menos um mês.
Por coincidência,ali estavam morando Fernando e sua mulher Patrícia, colegas de faculdade que eu não via há mais ou menos uns 15 anos.
Encontrei Fernando por acaso,na empresa e combinamos de jantarmos juntos.
No jantar,reencontrei Patrícia. Estava linda !
Tinha engordado bastante, quase 20 quilos,estava gordinha.(Adoro mulher gordinha), adorei seu corpo ,de coxas grossas,bunda grande e seios enormes e balançantes.
Fernando que na época da faculdade,era um rapaz que bebia prá ficar alegre,agora era um alcoolatra.
Eu e Patrícia bebemos um pouco mas Fernando ficou completamente bebado.
Jantamos só nos tres,porque os filhos deles estavam estudando em outra cidade.
Ficou muito tarde,eles me convenceram a passar aquela noite lá,no quarto de hóspedes.
Eu não consegui dormir,porque o Fernando,bebado,roncava alto. Fui procurar água na cozinha, encontrei Patrícia na sala,vendo televisão.
Ela comentou comigo que ultimamente Fernando vivia bebado,e eu percebi que ela precisava desabafar.
Deixei que ela falasse.Ela falou bastante.
Depois o assunto passou para sexo,ela disse que Fernando  transava com ela muito pouco,lamentou-se por ter engordado.Começou a chorar.
Eu disse que a achava interessante e excitante,que Fernando deveria ser tolo.,que ela estava no auge da gostosura.(e eu estava sendo sincero)
Ela me olhou com ternura.
Conversamos por um longo tempo e sem planejar nada, eu passei a mão em seu rosto e a beijei.
Disse que ela estava gostosa e que eu estava sentindo muito tesão por ela.
Ela não respondeu e se levantou, disse : "vou dormir, obrigado por ter me ouvido"
Eu lhe respondi que ela não precisava ir , disse que podia continuar conversando , porque eu não iria mais tentar beijá-la.
"Desculpe, Gabriel", ela disse e foi para o quarto.
-
Uns dois depois, encontrei Fernando bebado num bar que ficava ao lado do Banco e o levei para casa .
Logo que chegamos, percebi que Patricia ficou triste e envergonhada pelo marido.
Ajudei-a a levá-lo para o quarto, ela me ofereceu um café e ficamos conversando sobre amenidades vendo televisão.
Na hora em que eu me despedi, Patricia desabou : me abraçou e começou a chorar. Pediu desculpas. Disse a ela que podia chorar a vontade..E ela chorou nos meus braços longamente, soluçando, dizendo tudo o que estava sentindo..
Deixei-a chorar até ela se acalmar. Pedi-a que falasse sobre os filhos, pra desviar o assunto e assim ela foi se acalmando. Só então, disse que iria embora.
- "voce vai ficar bem?" eu perguntei.
" sim,obrigado amigo",ela respondeu, se despedindo de mim com um selinho na boca
-
Jantei mais algumas vezes com eles, mas em companhia de outros amigos comuns e a situação se repetiu: Fernando ficou embriagado ,causando constrangimentos a todos. Percebi que novamente Patricia ficou envergonhada e triste ..
-
Uns dias depois, Patricia me ligou e me pediu encarecidamente que eu cuidasse para que Fernando não bebesse naquela tarde. Era o aniversário do casamento deles e eles iam sair pra comemorar. "Sem bebida," ela me falou .Sua voz estava alegre e ela disse estar esperançosa de convence-lo a se tratar.

Foi dificil, mas consegui fazer com que Fernando ficasse longe da bebida naquela tarde no happy hour. Fiquei ao lado dele o tempo todo e o levei para casa, sóbrio .
Patricia ficou muito contente, sorridente, carinhosa, beijando o marido muitas vezes.

Naquela madrugada, Patricia ligou para o hotel onde eu estava . Pediu mil desculpas, mas me disse que depois que jantaram, Fernando deu uma desculpa e saiu..
Ainda não havia voltado e ela estava preocupada. Disse pra ela se acalmar , liguei para alguns amigos comuns e saimos para procurá-lo.
A cidade era pequena, não havia quase nada aberto.
Encontramos Fernando numa loja de conveniencia, num posto de gasolina, já bebado.
Fui novamente incumbido de levá-lo para casa.
Patricia já estava chorando, embora nós já tivessemos dito o que tinha acontecido.
Ela chorava bastante, disse que estava frustrada, que esse era um dia muito importante pra ela..Nesse dia, estava triste mas zangada.
Enquanto eu colocava Fernando na cama ela começou a xingá-lo .
Patricia estava descontrolada, chorando de raiva..
Fiquei ouvindo-a um pouco , depois lhe disse palavras de consolo, ela foi se acalmando e eu me despedi.
Dessa vez ela me pediu pra ficar mais um pouco..disse que não queria ficar sozinha, e eu aceitei. Sugeri que ela deitasse no sofá e tentasse dormir, eu disse que ficaria ali, lhe fazendo companhia.
Patricia estava ainda com a roupa com a qual havia saído : um vestido que ia até a altura do joelho, levemente decotado. Estava bem maquiada , com as unhas feitas e o cabelo preso,que realçava a beleza do seu rosto.
Deitou-se no sofá grande da sala e eu sentei no outro sofá.
Conversamos um pouco, ela dormiu eu liguei a TV , mas não assisti quase nada, porque dormi ali sentado. 

Acordei com Patricia sentada ao meu lado beijando o meu rosto e fui acordando aos poucos..Ela beijava todo o meu rosto,o meu pescoço, a minha orelha.
Eu não sabia o que fazer e nem dizer. Ela me beijava e disse : " Me beija, Gabriel, quero um pouco de carinho. Me faz ficar feliz "
Segurou carinhosamente o meu rosto e beijou a minha boca, me dando a lingua que eu chupei com tesão.
Ela estava com o mesmo vestido , eu subi o seu vestido,acariciando suas coxas grossas.
Me ajoelhei em frente a ela e toquei sua bucetinha com a mão,beijei seu joelho e vim subindo,cheguei até sua virilha e lambi e beijei.Afastei a calcinha,abri sua bucetinha e comecei a comer ela com minha lingua quente.
Ela se contorcia de tesão .Então tirei sua calcinha e chupei ela com capricho, ora chupando os grandes lábios, ora  enfiando a língua, e nesse ritmo não demorou para ela gozar apertando a minha cabeça contra seu sexo.
Ela me olhou,depois abaixou os olhos, como se tivesse envergonhada
"desculpa," ela disse" to sem sexo há muito tempo"
"não seja boba", eu disse, puxando-a pela mão e levando-a até o quarto de hospedes, onde eu havia dormido uma vez.
E enquanto Fernando roncava eu  deitei Patrícia na cama, beijando-a , tirei a sua roupa e fiquei acariciando seus peitos enormes e maravilhosos,como um monumento erguido em homenagem à gostosura.Beijei,lambi e chupei seus seios com fome e tesão,ate os biquinhos ficarem durinhos e ela falar que estava com tesão novamente.
Esfreguei meu pau nos seus peitos e coloquei o pau no meio deles. Comecei a fode-los com o pau, vigorosamente.
Ela me disse :"não resisto".Segurou meu saco com a mão e enfiou a cabeça na boca. Eu delirava com o carinho e o calor da boca de Patrícia. Ela chupava o saco e o pau inteiro alternadamente. Eu não estava aguentando segurar mais o orgasmo  e ela pediu prá eu gozar nos seus seios..
" eu também estou sem sexo há muito tempo",eu disse à ela, e sorrimos.

Ela me levou para o banheiro e debaixo do chuveiro ficamos nos provocando,nos acariciando e beijando.

Voltamos para o quarto fervendo de tesão.
Eu a abracei ,com o pauzão apertando sua bucetinha.
Eu sentei ela nas minhas pernas e ela ajudou a encaixar.
"- to adorando sentir voce dentro de mim . Me fode devagar"- ela me disse, enquanto eu beijava seu pescoço e orelhas. Ela abraçou minhas costas com as pernas,eu a joguei na cama  e comecei a comer ela.
"-Eu estou adorando",ela disse,"nem sei como estou aguentando um pau tão grosso".Ouvir ela falar isso me deu mais tesão e quando eu enfiei tudo,ela gemeu mais alto.
"está muito gostoso"-ela dizia.Aí eu enfiei um dedo no rabinho dela.Ela disse não,mas eu não me importei.Enfiei mais fundo enquanto bombava gostoso dentro dela.
Ela se deitou sobre mim, e disse no meu ouvido -"quero ser sua amazona".
"Então me cavalga",eu disse. Ela obedeceu e fez o mastro sumir dentro dela,rebolando sobre mim,com os enormes seios balançando.Ela rebolava sobre mim e se masturbava.
"Que gostosa que você  é" , eu disse. Ela gozou se masturbando e me fez gozar que nem louco.
-
Trocamos muitos beijos quando eu me despedi.
No dia seguinte, ela me pediu pra ir na casa dela, na hora do almoço ,dizendo que era muito importante.
Quando cheguei, ela se atirou nos meus braços, aos beijos.
" O que é ", eu perguntei
" Quero que você me coma de novo", ela disse, tirando a minha camisa.
Começamos a nos beijar de novo enquanto nos despiamos.
" E o Fernando ? eu perguntei..
" Foi atender um cliente em outra cidade. Só volta à noite..Bebado",ela disse entre beijos loucos de tesão ." Quero você de novo ", repetiu .."-É loucura,  mas eu quero" Foram muitos e muitos beijos, apalpadas , chupadas e mordidas, ambos nús
Ela me fez deitar no chão da sala e  ficou em cima de mim e começou a esfregar sua bucetinha no meu pau.Ficamos bem excitados, e ela falou: "estou molhadinha, me come de novo".
"Fica de quatro""eu disse.
Quase surtei quando vi aquela bunda enorme,tive que dar uns tapas bem gostosos nela.
Ela ficou de quatro e eu enfiei o pau lentamente na sua bucetinha.Quando estava deslizando bem gostoso,eu fiz ela chupar meus dedos e enfiei um dedo no seu rabinho.
Aí tirei o pau e apontei para o cuzinho dela e falei lambendo seu ouvido:"vou comer seu cuzinho".
Ela falou:"me fode".
Eu enfiei a cabeça e fui aos poucos enfiando o resto.
Com a mão apalpava seus seios enquanto ela bolinava seu clitóris.
Ela dizia: - "Pensei que não fosse agüentar, mas está muito gostoso."
Quando comecei a bater com o saco na sua bunda, ela não aguentou, falou um monte de palavrão e gozou muito.
Eu gozei também inundando seu cuzinho de porra, urrando que nem um animal no ouvido dela.
Voltei à noite, trazendo novamente o Fernando bebado e nós trepamos a noite inteira sem nos importaramos se Fernando estava ouvindo os nossos gemidos.
Até hoje sonho com aquela fêmea carinhosa e maravilhosa
Gabriel
narcisosantos@hotmail.com
-----------------

sábado, 18 de janeiro de 2014

OI, gente, no post de hoje, trago um conto que recebi por email .É um pouco longo,mas vale a pena... espero que voces gostem. Espero que me mandem emails também, com desabafos, historinhas, contos, etc. O meu email é tonixscorpion@gmail.com.

------

 UMA AVENTURA DO CASAL BAMBAM E PEDRITA

Casal Bambam e Pedrita (casalbamepe@casalbambamepedrita.com)

duq-28

 

Bom estou aqui pra relatar uma aventura que aconteceu comigo e minha esposa. Somos casados há dez anos, meu nome é Jony e ela é a Shirley, ambos na faixa dos trinta anos, ela muito safada, adora me cornear. Um certo dia estávamos em um sítio com vários casais e amigos, Lá conhecemos o Jackson, um rapaz de 18 anos, que estava ali a convite de um casal amigo da gente, pois bem, fiquei por ali tomando umas e outras e a minha esposa se bronzeando na beira do açude, ela usava um biquíni fio dental onde dava pra ver toda a sua bunda, notei que o Jackson não tirava o olho dela e para provocá-lo peguei o bronzeador e fui passar na minha mulher, ele se aproximou e sentou por traz da gente, um pouco afastado, fiz de contas que não estava vendo ele, continuei passando bronzeador na Shirley e comecei a provocar ela, dizendo que ela era muito gostosa, que eu já estava de pau duro, que queria comer ela ali mesmo, a medida que eu ia passando o bronzeador aproveitava e tocava sua buceta com meus dedos e a Shirley foi se excitando e logo dizendo;….

Amor pare com isso se não vou querer sua rola aqui mesmo. Eu respondi;…. Se você quiser eu posso te dar minha rola aqui mesmo, é só agente se afastar um pouco do pessoal para que ninguém nos veja, ela topou, peguei na sua mão e fomos pro outro lado do açude, em uma área isolada, enquanto caminhávamos olhei para traz e vi que o Jackson nos seguia, aproveitei e falei dele para minha mulher, disse a ela que o Jackson estava de pau duro olhando ela se bronzear e que ele deveria estar morrendo de vontade de comer ela, nesse momento a Shirley olhou pra traz e viu o Jackson, disse que ele era bonito e gostoso e me perguntou o que agente iria fazer com ele, eu respondi que a princípio deixasse ele ver agente transando e que depois eu pensaria em algum plano. Chegamos do outro lado do açude e sentamos em uma pedra, olhei em volta e pude perceber que o Jackson nos olhava, escondido por traz das árvores, falei pra minha mulher, combinamos de excitar ele ao máximo e começamos a tirar nossas roupas, me abaixei e comecei chupando seus seios e depois sua buceta depois foi a vez dela cair de boca no meu pau, ela estava com muito tesão e sabendo que estava sendo observada, a Shirley chupava minha pica com vontade, engolia tudo, aquela chupeta estava tão gostosa que não resisti e acabei gozando na boca da Shirley que em minutos ficou brava comigo, ela olhou pra mim e disse em voz alta;… Não era pra você gozar agora, seu pau vai amolecer, olha como eu estou, eu quero uma rola grande e grossa agora dentro da minha buceta, eu pedi a ela pra ter calma e que me desse um tempo para eu repor as energias, que nós dois deveríamos voltar naquele momento para próximos dos outros e que quando nós chegássemos em casa, nós tranaríamos bem gostoso, ela olhou pra mim um pouco chateada e disse;…

Tudo bem mas hoje você merecia um par chifre, merecia ser corno, vou transar com o primeiro que eu encontrar pela frente, seu corno. Eu nada disse mas notei que o Jackson ouviu tudo que ela disse, nos vestimos e voltamos para próximo dos outros, logo em seguida o Jackson veio atrás, ele se aproximou de mim e começamos a conversar e a tomar umas cervejas, nos tornamos amigos e parecia que agente se conhecia a muitos tempos, a Shirley percebendo nossa amizade veio se bronzear em uma cadeira próximo de nós, há uns dez metros de distância, sentou-se de pernas abertas de frente para nós, era impossível disfarçar, eu e o Jackson estávamos de pau duro, ele começou a elogiar minha mulher dizendo que ela era muito bonita, jovem etc. Eu e o Jackson continuamos a beber cerveja e ficamos um pouco altos, começamos a falar de putaria e sexo abertamente, em dado momento começamos a debater sobre o tamanho do nossos paus, ele dizia que eu pau dele era maior do que o meu e eu dizia que não era, nós dois bebíamos e olhávamos pra Shirley se bronzeando de pernas abertas naquela cadeira, era impossível não ficar de pau duro, quando fomos ao banheiro, mijamos de pau duro, o Jackson tocou no assunto novamente dizendo;… Olha aqui Jony, veja como meu pau é maior do que o seu, quando olhei pude ver que o pau dele era enorme, eu já estava muito excitado e então respondi;…. Nossa opinião não vale, se a minha mulher pudesse ver nós dois de pau duro ela diria quem tinha o pau maior, ele não perdeu tempo e aproveitou a brecha que eu dei dizendo;… Se vocês não ficarem chateados, nós poderíamos sair daqui nós três juntos, eu, você e sua mulher, iríamos para um local seguro, ficaríamos de pau duro pra ela ver qual era o maior, eu respondi;…. Do jeito que ela estar hoje, se ela ver sua rola dura desse jeito vai querer cair em cima dela com tudo, ele respondeu;… Não tem problema, se você me permitir eu posso dar minha rola a sua mulher com maior prazer. Depois disso nós voltamos para onde estávamos e eu fui falar com a Shirley, disse a ela que havia conversado com o Jackson, que a rola dele era enorme e que ele estava louco pra comer ela, a Shirley pegou na minha mão e me chamou pra ir até o Jackson, que queria conhecê-lo, apresentei o Jackson a Shirley, conversamos um pouco e resolvemos ir para nossa casa, enquanto a Shirley foi pegar nossas coisas eu tratei de conversar com o Jackson sobre alguns detalhes, sobre sigilo absoluto, preservativo etc. Antes de entrar no nosso carro a Shirley me chamou para ir até o banheiro com ela, lá dentro ela olhou pra mim e disse;… Amor olha como estou, a minha buceta estar toda molhada, quero que aquele macho me coma gostoso, não sei se vou agüentar esperar chegar em casa, tá ? Eu respondi;… Tudo bem amor, não se preocupe. Chamamos o Jackson, entramos nós três no nosso carro, eu e a Shirley na nos bancos da frente e o Jackson no banco de traz e rumamos para a nossa casa. No caminho pude perceber que a Shirley colocava a mão sobre sua buceta várias vezes, ela estava muito excitada, peguei uma das mãos dela e coloquei sobre o meu pau que estava duro feito pedra, ela abriu meu short, colocou meu pau pra fora e começou a me punhetar, o Jackson vendo tudo isso, colocou seu pau pra fora e começou a bater uma punheta, a Shirley quando viu o tamanho do pau do Jackson não resistiu, olhou pra e disse;…. Amor não agüento mais, pare o carro dentro dos matos, quero a rola dele aqui mesmo, dentro de mim, dirigi mais um pouco e avistei uma estrada de terra, estava deserta, não tinha ninguém transitando por ela, estacionei o carro debaixo de uma grande arvore, desci do carro e abri as duas portas da lateral direita, puxei uma pedra para perto do carro e sentei nela, olhei pra minha mulher e disse;… Pronto amor, ele é todo seu, pode fazer o que você quiser, ela respondeu;…

Obrigada amor, você é o melhor marido do mundo, em seguida ela desceu do carro e sentou no banco do motorista, Jackson desceu também do carro, veio até ela, se ajoelhou na sua frente e começou a beijar ela na boca, em seguida retirou sua blusa e começou a chupar seus seios, ao mesmo tempo eles iam tirando suas roupas e em poucos instantes eles já estavam completamente nus, ele que até então chupava os seios da minha mulher, se abaixou mais um pouco e começou a chupar a buceta dela, metia a língua lá dentro, ela segurava ele pelos cabelos e pressionava forte o rosto dele contra sua buceta, ele alternava e chupava a buceta e o cuzinho ao mesmo tempo, ela não resistiu mais e gozou a primeira vez na cara dele, depois disso ele ficou de pé na frente dela e ofereceu seu pau pra ela chupar, a Shirley não perdeu tempo e caiu de boca na rola dele que era enorme, ela abria sua boca ao máximo para aquela rolona entrar, ela chupava com gosto, de vez enquanto ela tirava a rola dele da sua boca e passava no piquinho dos seios, passava no seu rosto, metia sua língua no buraquinho da rola dele e em seguida engolia tudo, eu assistia a tudo batendo uma deliciosa punheta, ela chupava ele, olhava pra mim e dizia;….

Amor olha o tamanho dessa rola, olha como ela é grande e grossa, é uma delicia, quero ela todinha dentro de mim, em seguida Jackson foi até sua bolsa pegar uma camisinha, eu aproveitei esse momento e dei uma chupada na buceta da minha mulher, ela pegou meu rosto, me deu um beijo de língua e disse;… Eu estava até agora chupando a rola dele, me beija e sente o gosto da rola dele na minha boca, não é uma delícia ? Em seguida me afastei e o Jackson chegou com seu pau duro vestido em uma camisinha, a minha mulher estava sentada no banco do motorista, ele se aproximou, abriu suas pernas e meteu aquela rola enorme dentro da buceta dela, ele gemia de prazer e dizia;…. Me come meu macho, enfia essa rola todinha dentro de mim, arrromba minha buceta na frente desse corno, ele adora ver a mulher dele dando pra outro, em seguida ele saiu de cima dela, ela se virou e ficou de quatro em cima do banco, ele veio por traz, abriu a bunda dela e enfiou seu pau todinho na buceta, era muito gostoso ver ela dando a buceta pra ele, ela gemia gritando quando ele enfiava tudo;… Ahhh, me come Jackson, mete todinho de uma vez dentro de mim, a sua rola é muito gostosa, em seguida eles resolveram mudar de posição, ela saiu de dentro carro e se escorou no mesmo, em pé de costas pra ele e empinou sua bundinha, ele em pé mesmo veio por traz dela e meteu na sua buceta segurando ela pelos seios, ficaram nessa posição por alguns minutos, depois disso, eles foram para a frente do carro, ele deitou ela em cima do capô do carro, abriu suas pernas e perguntou;… Shirley eu posso comer seu cuzinho ? Ela respondeu;… Pode sim mais coma com bastante carinho para não doer e me machucar, eu fui até o carro, peguei um gel lubrificante e dei para ele passar no cuzinho dela, depois de feito isso, ele começou a meter sua rola no cuzinho dela, foi metendo lentamente até que a cabeça da rola entrou, ele ficou comendo o cú dela enfiando só a cabeça da rola pra ela ir se acostumando, ela sentia um pouco de dor e foi então que ele resolveu chupar os peitos dela e a acariciar sua buceta, isso acendeu o fogo da minha mulher, ela olhou pra ele e disse;… Enfia essa rola todinha dentro de mim, arromba meu cú na frente desse corno, vai meu macho, mete essa rola todinha dentro do meu cú, ahhhh… Ele obedeceu e enfiou toda sua rola dentro do cú da minha mulher, dava pra ver que só ficava as bolas do lado de fora, quando ele tirava o pau de dentro do cú dela dava pra ver o buraco que ficava, ela gemia forte dizendo;….

Ahhh, tá gostoso demais essa rola no meu cú, me come meu macho, ahhh quero gozar, em seguida, Jackson retirou seu pau do cú da minha mulher, trocou a camisinha e meteu forte na buceta dela enfiando tudo, ela gemia de tesão e pedia a ele;….. Me come gostoso Jackson que eu quero gozar, mete em mim e ao mesmo tempo chupa meus seios que eu gozo gostoso, goza junto comigo vai ! E assim ele obedeceu, enfiava sua rola todinha na buceta da minha mulher e ao mesmo tempo chupava seus seio, não demorou muito e os dois gozaram alucinadamente, em seguida, ele retirou o pau da buceta dela e eu pude ver que a camisinha estava cheia de esperma, ela retirou a camisinha do pau dele e derramou todo o seu esperma em cima dos seus seios e ficou espalhando sobre ou bicos dos seios, Jackson se afastou e foi se vestir, ela olhou pra mim e disse;….

Vem amor, é sua vez de gozar, abri as pernas dela e meti na sua buceta, ela olhava pra mim e me dizia;… Olha amor, meus seios estar cheio de esperma da rola do Jackson, me come e passa a língua nos meus seios vai, limpa tudo e sente o gosto do esperma dele, ele me comeu gostoso, obedeci a minha mulher e limpei com minha língua todo esperma dele que estava espalhado nos seios da minha mulher, em seguida gozei dentro da buceta dela. Depois disso nos vestimos e fomos deixar o Jackson na casa dos seus familiares. Essa foi mais uma das muitas que virão por a frente.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Tarada por uma aventura...

Autor: letícia

Sou uma mulher que adora ser acariciada, adoro aventuras...na verdade a aventura para mim é como um combustivel para que eu viva feliz... Vivo com a buceta molhada, pronta para ser fudida e quando estou com muito tesão meu clitoris parece um penis...

Sou casada, tenho filhos e vivo um relacionamento aberto.

Vou contar uma aventura... Um dia como tantos outros fui para uma casa de swing e meu esposo disse que queria ter um casal conosco em um ambiente diferente...privacidade.. Eu acabei procurando casais em sites de relacionamento, mas nada me interessava

Então, um sábado acabei encontrando um cara com quem me identifiquei.  depois de algum tempo estavamos trocando msgs e derrepente queria ser dele..Ele me excitava...me deixava louca...só em falar com ele minha buceta babava... Conversei com meu esposo e um dia marcamos um encontro... Nossa eu não via a hora dele me penetrar...

nos encontramos e ele pegou no meu braço e apertou...fui ao extase... Tesão total...não via a hora de ser possuida por ele...

Acabamos nós quatro num barzinho, e meu tesão só aumentava. Meu esposo decidiu que nosso destino era um motel.  Porém trocamos no carro mesmo... ele foi me beijando e eu coloquei a mão dele em minha buceta para ele ver o quanto babava, sei que naquele momento ele percebeu meu tesão. Se pudesse teria montado em sua rola ali msm... mas meu esposo e sua esposa estavam comportados, não dava para arriscar...

ao chegar no Motel estava com medo e com tesão. Tudo ao mesmo tempo...

De repente dentro de uma piscina meu esposo começou a me pegar e ele o tal cara  e sua esposa se beijavam do outro lado e meu esposo caminhou ao encontro deles e me entregou para o cara....meu desejo.... nossa!!!!!! eu estava nos braços de outro homem e ele me beijava e me chupava enquanto meu esposo metia a lingua na buceta  de sua esposa...

Que tesão!!!!! nunca pensei que viveria isto...

Enquanto meu esposo possuia a outra eu estava em outro mundo. Ele me realizava, me satisfazia. Eu...Eu que havia sido apenas do meu esposp estava sendo chupada, estava me deliciando com outro.

Hora de sair da piscina. Hora de sentir sua pica em minha buceta. Afinal sentia meu coração em minha buceta que não parava de babar, queria ser possuida, queira ser preenchida. E derrepente ele me preenche com sua rola. Me faz sentir algo inemaginavel. Adorei ser possuida por ele, Bom demais, gostoso. Gozei com a sua lingua me chupando... Alguns instantes depois ele estava se esfregando...ou melhor sua rola se esfregava em meu clitoris, mas sem camisinha, o tesão era grande mas não poderia ser assim então ofereci meu cú para ele e ele....

Ah!!! ele aceitou e meteu fundo e com a rola dele dentro de meu cú gozei novamente.... Ele me enlouqueceu,me deixou delirar...

Mas não acabou como deveria e espero que possamos um dia acabar como merecemos, só em pensar babo ..

adoro aventuras, adoro perigo e naquela noite não foi nós quem erramos, mas pagamos por erros alheios. Não senti seu gozo, não fui sua como deveria ter sido, e espero que o destino seja nosso amigo...

http://www.contosonline.com.br/conto-erotico/tarada-por-uma-aventura-2