segunda-feira, 30 de setembro de 2013

A SOGRA DOS MEUS SONHOS e COLÉGIO NOVO, VIDA NOVA


A SOGRA DOS MEUS SONHOS

 

Autor Desconhecido

 

" Essa estória que vou narrar aconteceu há alguns anos. Eu namorava uma gata, Monica era seu nome, morena, alta, dois pares de seios bem avantajados e um pouco cheinha mas com um rosto lindo. Com algum tempo de namoro Monica me apresentou a sua mãe,Tania era seu nome, tinha 42 anos e na primeira vez que vi fiquei impressionado pois era uma maravilha de mulher. Loira 1.70m, cerca de 55kg, e um corpo de meter inveja a muita gatinha pois ela malhava pelo menos 3 vezes por semana.Com o tempo veio a intimidade e fiquei sabendo que era divorciada a alguns anos e que teve poucos namorados depois do marido mas nada serio. Dona Tania me tratava muito bem, bem ate demais, porem, apesar de ser um mulheraço eu nunca tive segundas intenções. Um dia porem Monica foi viajar para passar um fim de semana com o pai que estava morando em outra cidade e de repente num sabado a tarde toca o telefone e era a minha sogra dizendo que estava tendo problemas com o carro e se eu não conhecia um mecânico que pudesse levar até a garagem da casa dela. Como era sabado a tarde dificilmente eu encontraria alguem disponível fui até la para ver se conseguia resolver o problema.Ao atender a porta eu fiquei até desconsertado, ela estava vestindo um short jeans e uma blusa sem sutiã que marcava bem os biquinhos do peito. ela me levou ate a garagem e ao ligar o carrro saquei logo que a bateria havia pifado. Corri até uma loja ali perto e comprei outra bateria voltando em seguida , em alguns minutos o carro estava novinho. Ela ficou radiante pois achava que ia ficar a pé no final de samana. Já era final de tarde eu me sujei um pouco ela me convidou para comer algo e me deu uma toalha para que tomasse um banho e tirasse aquela sujeira. Ao voltar perguntou-me se queria algo para beber, começamos a tomar um vinho e a medida que foi subindo a cabeça o papo foi se tornando mais aberto e minha cabeça ja estava povoada de ideias com relação aquela coroa deliciosa. Me contou que estava se sentindo muito sozinha e que a muito tempo não passava momentos tão agradaveis assim e que achava que o fim de semana ia ser muito chato. Eu falei que tambem não tinha o que fazer e que podiamos fazer companhia um pro outro.Comemos um sanduiche que ela preparou enquanto conversavamos e foi tomar um banho tambem. Voltou maravilhosa cabelos molhados e um perfume de endoidar, tinha colocado uma musica e ela voltou dizendo que adorava e que estava com vontade de dançar, não me fiz de rogado e a puxei pela mão começamos a dançar colados e sentia que o clima estava maravilhoso ela encostou a cabeça no meu ombro e logo estavamos nos beijando, eu sentia aquela lingua deliciosa e ja passava minha mão pela sua bunda, ela gemia e eu já estava com a lingua dentro do seu ouvido, fui descendo pelo pescoço e ja estava chupando aqueles seios maravilhosos, eu nem acreditava, arriei o vestido e deitei-a ali mesmo no sofa fui descendo a lingua pela barriga ate que tirei a calcinha e vi a bucetinha bem raspadinha e cheirosinha. comecei a chupar e ela abriu as pernas o mais que pode, de repente coloquei-a de quatro e comecei a chupa-la por tras, ia desde o grelinho ate o cuzinho rosinha, ela gemia dizia para eu não parar, ela se virou abaixou minha bermuda e começou a me chupar, deitei no chão e coloqueia na posição 69 e chupava aquela buceta maravilhosa enquanto enfiava o dedo do cuzinho dela. Ela gemia e eu ja estava quase gozando coloqueia de novo de quatro e por tras enfiei de vez naquela buceta ela deu um gemido mais forte e começou a pedir pra eu comer ela que o meu pau era delicioso epra eu fazer ela gozar muito. Não demorou muito ela entrou num verdadeiro espasmo de gozo. Eu tirei da bucetinha e aproveitando o embalo coloquei na portinha do cuzinho so pra senti a reação, ela falou vai coloca, me come todinha, eu abri o cuzinho com os dedos e enfiei aos poucos, ela gemia muito e dizia pra eu enfiar tudo,quando senti que estava todo la dentro, dei uma parada e comecei um movimento de vai e vem que deixou ela louca passei minha mão pela frente e achei o grelinho durinho e em poucos instantes ela estava novamente gozando com uma egua no cio. Ficamos ali no chão por mais algum tempo e depois tomamos um banho juntos cheio de carinho e muita sacanagem tambem.Voltei lá no Domingo para tomar um banho de piscina e lógico repetimos a dose. Depois da quele fim de semana minha sogra ficou mais minha amiga ainda mas não rolou mais nada, até que algum tempo depois eu e a filha terminamos e hoje só guardo a lembrança daquela mulher incrivel.

 

annbar13xb

 

COLÉGIO VELHO, VIDA NOVA

by Cathy

cathy_1@mailcity.com


" Depois de descobrir o que o sexo realmente pode proporcionar , minha cabeça ficou a mil. Pensava que havia perdido anos com dois relacionamentos conservadores, sem ter acesso às coisas boas da vida. Na segunda-feira passada, então, tive certeza de que a chama que se acendeu em mim é incontrolável. Estava no colégio (estou no 3o. ano), assistindo à aula de História, e não conseguia evitar uma cara de tarada. Enquanto a professora falava de República Velha eu lembrava da noite inesquecível com os cinco rapazes do XXXX. Nisso, notei que o Eduardo estava me olhando atentamente, fixado nos meus peitos. Ele é um desses filhinhos de papai; tem 20 anos e ainda está no 3o. ano. Quando levantou os olhos, deu de cara comigo e ficou meio sem graça. Eu sorri maliciosamente.

O sinal tocou e, como era a última aula do dia, todos começaram a sair. Já eram umas seis da tarde. Eu desci para o pátio e fiquei conversando com uma amiga, antes de ir embora. Vi que o Eduardo estava no pé de uma árvore, sentado, lendo alguma coisa. Uns vinte minutos depois, a mãe da minha amiga apareceu para buscá-la. Caminhando na direção do carro, cruzamos com Edu e, sabendo que ele tem carro, perguntei: "Tá esperando alguém, é?" Ele respondeu que tinha que falar com um professor, mas eu sabia que era mentira, pois àquela hora só estavam no colégio os inspetores e os porteiros. Minha amiga foi para o carro e eu continuei andando (moro perto). Nem tinha andado um quarteirão, lembrei dos cinco rapazes de novo e voltei ao colégio. Eduardo estava arrumando a mochila. Eu lancei um olhar de puta para ele e perguntei se ele estava com pressa. Ele disse que não. Sentei ao lado dele e ficamos conversando um pouco sobre as coisas do colégio.

No meio do papo, disse que havia notado os olhares "gulosos" dele no meio da aula. Ele não se fez de rogado e confirmou. Então, começou a passar a mão no meu pescoço, descendo até bem perto dos seios. Achei aquilo um atrevimento, mas não conseguia controlar meu tesão. Segurei a mão dele e coloquei por dentro da blusa, abrindo dois botões para facilitar. Eduardo passeava habilidosamente e eu prestava atenção ao que se avolumava em suas calças. De repente, um inspetor passou e tomamos um susto enorme. Foi quando ele me puxou por um braço e me levou para o banheiro feminino do primeiro andar.

Assim que chegamos, ele fechou a porta e me encostou contra ela. Abriu o resto da minha blusa, tirou meu sutiã e começou a chupar meus peitos avidamente. Pensei que ia ficar mal falada, porque Eduardo fazia aquilo com todas que deixavam. Mas ele começou a mordiscar meus mamilos e eu esqueci completamente do assunto. A essa altura, Edu já estava esfregando minha boceta por cima da calça, com movimentos nem um pouco sutis. Apesar da falta de delicadeza, aquilo me excitava e eu imaginava seu pênis ali dentro. Resolvi virar o jogo.

Devagar, eu fui fugindo da boca frenética e finalmente consegui trocar de lugar com Edu, encostando-o na porta. Acho que ele ficou surpreso, afinal eu sempre fora considerada uma garota comportada. Fique agachada e abri sua calça lentamente, acariciando suas pernas, até libertar o cacete. Ao ver aquele membro pulsante, me descontrolei e abocanhei-o inteiro. Ajoelhei e comecei a mover a cabeça, sentindo cada centímetro do caralho deslizar dentro da minha boquinha. Seu gosto era simplesmente delicioso. Tirei-o da boca e passei a lamber seus testículos, abocanhando-os de vez em quando. Edu gemia e dizia que queria gozar. Como eu tinha adorado experimentar o gosto de porra duas semanas antes, voltei minha atenção para o membro em si. Depois de algumas lambidas na cabeça, coloquei-o na boca de novo e pedi: "Fode minha boquinha, Edu." Ele estava enlouquecido e, segurando minha cabeça, começou a estocar com força. Não demorou muito e senti o pau pulsando e liberando o líquido quente e viscoso, direto na minha garganta. Edu deixou-o ali dentro, me obrigando a engolir sua porra, o que acabei fazendo com prazer.

Eu levantei e, levando um dedinho à boceta, comecei a me masturbar, pois estava encharcada e louca para ser penetrada. Edu, exausto, fez força para falar: "Deixa eu te foder." Tirando a mão de dentro da calça, respondi: "Hoje não." Passei o dedo umidecido pelos meus líquidos vaginais nos seus lábios e ele ficou doido: "Por favor, eu vou te foder bem gostoso." Disse que estava tarde, coloquei a blusa e saí.

Escrevam-me: cathy_1@mailcity.com

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

ESPOSINHA TESUDA DANDO A BUCETA

Fiquei muito tesudo com essas fotos…tenho fetiche por vestidinhos.. bati muito punheta vendo ela dando a buceta ainda de sainha…O tarado enfia o pauzão nela sem dó.. 

 

2  1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 14

 

1