quinta-feira, 1 de novembro de 2012

--JANETE MENTIROSA

Conto de Gabriel

 

Tudo começou naquela noite na discoteca. Minha irmã ia sair com o namorado e me levou prá fazer companhia à sua amiga Janete, uma mulher bonita e gostosa.. Janete.é morena, cabelos negros, olhos vivos e inteligentes, uma boca bem desenhada, de seios pequenos  e ancas largas e pernas grossas.

Primeiro , Janete foi carinhosa comigo, me deu atenção, me provocou, parecia querer ficar comigo. Depois de algumas bebidas, começou a me zoar, fazer piadinhas, nos desentendemos e ela resolveu ficar com outro cara. Prá não brigar, eu fui embora, engolindo aquele sapo.

Teria ficado nisso se ela não aparecesse em casa na manhã seguinte, meio bêbada, procurando minha irmã, Minha irmã tinha ido viajar, eu estava sozinho. Mandei Janete embora, ela não foi, entrou e começou a me agredir gratuitamente. Disse que teve uma noite maravilhosa, que o cara com quem tinha saído era muito gostoso, que eu era um bobão, etc..

Eu não queria brigar, deixei ela falar.Ela continou insistindo em me irritar. Quando disse que eu devia ser incapaz de fazer uma menina gozar, eu a empurrei contra a parede e a beijei longamente. No meio do beijo ela explodiu num riso debochado, na minha cara.
Ia saindo, eu não deixei. Abri sua blusa com um puxão rápido e torci um mamilo até ela gritar de dor. Ela me deu um tapa e eu lhe dei uma violenta bofetada e a empurrei, derrubando-a no chão, o que fez com que sua saia subisse até os quadris. Tinha coxas maravilhosas e uma bunda grande, em forma de lua.

Eu peguei meu cinto e acertei-a. Ela me olhou, assustada e surpresa. O cinto estalou sobre ela varias vezes. Segui golpeando-a sem dó. Ela se encolheu num canto, tentando desviar-se. Eu disse : “ se deixar eu bater na sua bunda, vai doer menos”. Ela ergueu um pouco a bunda grande. Eu comecei a ficar louco de tesão, meu pau já estava duro.

Mandei que ela descesse a calcinha. Ela hesitou, eu chicoteei suas costas. Ela desceu a calcinha e eu prossegui chicoteando ela, os vergões avermelhados foram se acentuando na pele. Ela gemia de dor. Logo, os gemidos foram ficando espaçados e mais baixos e percebi que ela tirou o resto da roupa e estava se tocando.. Xinguei-a, bem alto. Ela começou a se masturbar vigorosamente, à medida que eu batia  mais forte e a xingava de puta, vadia, vagabunda. A bunda dela estava toda vermelha...

Eu puxei-a pelo cabelo. “ quem mandou você se tocar ?”. ela gemeu e dissse “ . Eu estava muito tesão, voce me deixou com tesão “. Falei bem no ouvido dela : “ vou te castigar , sua puta, te arregaçar “. “ não “, ela disse, com a respiração alterada, voltando a se masturbar. Puxei suas mãos e as amarrei com o cinto. “ você só vai gozar se eu quiser”, eu disse.

Abri bem as pernas dela e comecei  a chupar sua xaninha. Ela se contraia a cada lambida. Suguei seu grelinho inchadinho, até ela gemer e pedir mais. Eu adoro chupar uma xaninha, adoro quando a mulher goza na minha boca. Mas Janete estava sendo castigada. Quando ela disse : “ não pára, não pára ..” eu parei.

Disse que se quisesse mais ia ter que implorar. E ela implorou. Pediu : “ por favor, me faz gozar “. Peguei um vibrador da minha irmã , esfreguei nos mamilos duros , na barriga e no grelinho pulsando. Apertei o vibrador no clitóris dela, enquanto sugava os seios. Ela gritou e gozou subitamente, quando eu a xinguei bem alto. Enfiei o vibrador na bucetinha dela e peguei um segundo vibrador e enfiei na entradinha do cuzinho dela. Deixei-os lá, enquanto chupava os seios, lambia suas coxas, chupava os dedos do pé dela , sugava o grelinho. Ela não conseguia controlar o corpo, se contorcia, levantava os quadris, pedia prá eu parar. Não sei quantos orgasmos ela teve, gozou muitas e muitas vezes.
Ver aquela morena gostosa se contorcendo e gozando, gemendo, gritando, me deu mais tesão ainda.. Só então a comi..

Tirei os vibradores de dentro dela e a coloquei de quatro para mim, ordenando.
Besuntei meu pau duro com hidratante e empurrei prá dentro do seu cuzinho. Seu corpo todo balançou, ela gemeu. Eu a puxei pela cintura e massageei seus seios, enquanto entrava nela. Ela começou a se mover suavemente no mesmo ritmo que eu. Continuei me afundando nela, seu cuzinho se contraia e apertava fortemente meu cacete. Ela gemia cada vez mais alto. Quando eu estava quase gozando, mordi seu ombro e massageei seu clitóris inchado e sua buceta molhada. Urrando, eu gozei loucamente batendo meu saco contra suas nádegas . Fiquei dentro dela , a apertando pela cintura, chupando seu pescoço.

Ela ficou quieta, suada, mole. Me confessou que estava toda ardida , disse que nunca tinha gozado tanto. Eu não acreditei, é claro. Janete é uma puta filha da puta mentirosa.  Eu estava vingado.