quinta-feira, 4 de outubro de 2012

ELA GOSTA DE APANHAR

Autor : GABRIEL
narcisosantos@hotmail.com.
- gordinha rabuda amadora mostrando o cuzinho
 
Sou um cara calmo, discreto, um tipo introvertido, carinhoso.
Jamais me passou pela cabeça ter alguma coisa com uma pessoa como a Janete.

Aconteceu assim :
Fui jantar com minha prima e alguns amigos dela, entre eles  Janete.uma

menina muito bonita, morena, cabelos negros, olhos vivos e inteligentes, uma boca bem desenhada, de seios pequenos  e ancas largas e pernas grossas.
Estava com uma blusa prateada,não muito decotada e uma  saia preta, curta, bem apertada que realçava ainda mais a bunda bem feita .

Mas , estranhamente, entre nós pintou um clima ruim. Não fui com a cara dela..Achei ela metida, isso deve ter acontecido com vcs , dizem que os anjos da guarda não se cruzam. Tudo o que eu dizia, ela contestava, e vice versa.  
A certa altura da conversa, já era por birra que eu discordava dela.  Na hora de ir embora eu tive que ir com as duas, porque estava sem carro e justamente no carro de Janete.Contrariado, aceitei. Mínha prima tinha bebido um pouco demais ,por causa da Janete que ficou colocando tequila no copo dela e eu achei ruim..Janete me olhou brava,mas não disse nada, me pediu pra ajudar a levar a minha prima em casa. O pior é que assim que  assim que chegamos na casa da minha prima, ela vomitou no chão e na blusa de Janete.
Ela ficou muito zangada e eu ri e disse 'bem feito'..

Janete ainda tinha que me levar em casa,tentou me convencer a ir de taxi,mas eu disse que não tinha dinheiro e que ela teria que me leva . Muito zangada,muito puta de raiva, ela se viu obrigada a me levar até a casa dela pra ela se trocar.
Entrei, ela me serviu uma bebida e enquanto tomava um banho e trocava de blusa, fui olhando a casa dela. Por pirraça,prá ver ela mais brava ainda,critiquei o gosto dela. Zangada, ela me chamou de grosso, mal educado.Eu disse o que sentia por ela, chamei-a de metida, orgulhosa, ficamos batendo boca um tempo ainda,nem toquei na bebida.Disse a ela que talvez ela não tivesse apanhado quando era criança, que merecia uns bons tapas.
Janete colocou o rosto bem junto do meu e vociferou quem ia bater nela, que eu não era homem suficiente para bater nela, que eu tentasse. Senti o sangue ferver, o rosto queimando,cheguei a erguer a mão mas me contive: “Bundão”,ela me disse, vc é bundào mesmo” .Quase gritando, deu um tapa na minha mão, atirando longe o copo.Não me contive e dei-lhe uma bofetada, derrubando-a de
costas no chào, o que fez com que sua saia subisse até os quadris.
Estava com uma minúscula calcinha preta de renda. Atordoado , arrependido, 
fiquei parado , sem saber o que fazer..Ela levantou-se furiosa, pegou um vaso e atirou em minha direção. Pulei bem a tempo, aturdido, diante daquela violência .  Rapidamente ela me empurrou, cai sentado no sofá, ela tentou me arranhar, segurei a mão dela, nos agarramos. Puto da vida, consegui imobilizá-la e ,menos zangado, disse:” você vai apanhar como se fosse uma criança..vai ver quem é bundão” Imobilizei-a no chão, de bunda pra cima, e com a mão aberta bati nas nádegas.

Minha mão subia e descia rapidamente e eu não queria parar.Fiquei entre furioso e uma sensação  de excitamento  que não sabia definir. Eu a fazia gritar.

Depois quando dei por mim, os gritos foram se transformando num gemido baixo. 
levantei a saia e baixei a calcinha, ela tinha uma bunda linda .., podia ver marcas vermelhas nas nádegas . Percebi furioso, que ela estava mexendo os quadris ao ritmo dos tapas.Percebi que ela massageava a bucetinha enquanto eu lhe batia. 
Ela estava ofegante, gemia:” bate mais” .Fiquei furioso, estava com raiva dela,  bati com toda a força., até minha mão arder. "- Bundão ela disse,viado ! nem prá bater vc serve..mais força..".Com raiva e com tesão  - meu pau duro pulsava dentro das calças- tirei o cinto e comecei a bater com força na bunda dela. O uivo do cinto descendo sobre a bunda dela,se confundiam com os gemidos cada vez mais alto. 
Quanto mais forte eu batia,mais ela se contorcia,se esfregando com força..
Sua bundinha foi ficando toda vermelha e inchadinha e não demorou muito e ela gritou : ” -estou gozando ! -não posso me controlar , “disse ela, ofegante,   . A  umidade escorria pelas coxas dela . Eu  fiquei aturdido, envergonhado..
cansado.  Levantei-me, ela me olhava, sentada , com as saias nos quadris, sem calcinha,o olhar brilhando. Com as mãos no meio das pernas,ainda se contorcia, ainda sentia contrações..  Era linda, a filha da puta.. 
Meu pau tava doendo de tão duro..
Ela me olhou. Sem falar nada ,louco de tesão eu avancei sobre ela
Tirei a blusa, e mergulhei a boca nos lindos seios pequenos mas sedutores.
Beijei-os, alucinado, mordiscando, apertando o seu mamilo com os dedos
Toquei os biquinhos enquanto minha língua percorria a nuca e o pescoço. Tirei 
o resto da sua roupa ,rapidamente,quase à força.
Me extasiava cada toque, a cada lambida, a cada passada de mão em sua buceta,a cada tapa naquela bunda  já inchada e quente. Beijei e lambi todo o seu corpo, cada centímetro ,me deliciando
 
Aí tirei a minha roupa e me deitei sobre ela e meu pau logo achou o que procurava. Foi entrando rapidamente na sua xaninha, sendo sugado por ela 
Aumentava o ritmo e a força da metida . Tive que interromper várias vezes para evitar o meu gozo.

Fiz a Janete ficar de quatro.Meu pau estava quase estourando e coloquei-o na buceta sem demora.
Eu não podia acreditar,que aquela mulher metida e odiosa era tão gostosa e que aquelas coxas, aquela bunda maravilhosa estavam ali, bem na minha frente.
Eu metia com força, fiquei com vontade de xingar ela e xinguei.
Segurei em sua cintura e a puxei em minha direção. Empurrei a sua cabeça no tapete chamando ela de putinha,vadia,cadela e comecei a foder sua buceta de cima para baixo. Que maravilha ouvir o som de uma buceta encharcada.
Chamava ela puta,vagabunda ..
 
. Puxei o seu cabelo e bati ainda mais na sua bunda, já inflamada. Ordenei que ela gozasse no meu pau, que ela esporrasse como louca, que gritasse. Eu metia feito um animal e o gozo de Janete veio logo .Quando gozou, apertou meu cacete com força,contraindo a bucetinha,quase quebrando meu pau..Segurei-a pelas nadegas e puxei-a de encontro a mim indo e vindo até gozar,que nem louco,enchendo ela de porra.
 
Ela se deitou de bruços,sem falar nada,ofegante ,
 
Ficamos deitados um ao lado do outro por bastante tempo,em silêncio.
Senti uma grande ternura pela safada,pela forma como ela se entregou a mim 

.Como não estava acostumado em bater em ninguém,senti uma espécie de remorso de ter batido nela. Comecei a lamber a sua bundinha inflamada. Estava bastante inchada e quente..Lambi sem pressa ,devagar.

Fui até a cozinha prá pegar gelo prá passar na sua bunda,não tinha..
Achei um pote de sorvete,coloquei sobre a bundinha dela.Depois espalhei um 
pouco de sorvete. ...tirei o sorvete com a lingua,fazendo um caminho na bunda dela..
Ela gemia baixinho e se contorcia muito pouco..Enchi a mão de sorvete e com o dedo fui enfiando sorvete no cuzinho dela..Colocava um bocado e enfiava com o dedo. Ela gemeu mais alto.."que delicia,",ela deixou escapar.
 
..Fiquei um tempo nessa brincadeira.
Fui colocando um,dois dedos e empurrando cada vez mais fundo o
sorvete..enchia a mão e empurrava..Ela gemia bem baixinho.

Comecei então a tirar o sorvete com a lingua,lambendo bem no reguinho humm, ela gemeu… Peguei então um grande bocado,enfiei no cuzinho dela e comecei a empurrar com a cabeça do pau...

Com o pau não,,não quero no cuzinho.. Ela gemeu - ai,seu puto  ,dói..seu pau é muito grande..
Peguei mais e empurrei mais o cacete..ela gemeu mais alto ..
-Não,porraaa,tá doendo...- ela dizia.. Eu não ligava..quase não tinha mais 
sorvete no pote...empurrei o monte que tinha com o pau..escorria sorvete pelos cantos do cuzinho dela.
Ela tentou se virar e disse brava _ eu já disse que não quero na bunda..na bunda não.
Eu não liguei,segurei o corpo dela na cama e enfiei..nem liguei para os
protestos dela..Ela se contorcia,tentando sair de baixo de mim..
Eu estava em vantagem..Prendia-a bem firme de bunda prá cima..
-Cala a boca,cadela,eu disse..vou comer teu cú..
-não,caralhoi,no cú não...pára,caralho  !
Eu empurrava sem dó..ela gemia..eu bati na bunda dela.E bati de novo..puxei  
ela pelos cabelos..e enfiei até a metade..
Ela urrou...Eu continuei..Bati nela de novo...Fodia ela sem
dó,rapidamente,indo e vindo..incapaz de me controlar...
Seu cuzinho apertava meu pau como um alicate,e logo ela
berrou dizendo que doia...
coloquei todo e a deixei relaxar, depois fui fudendo e
aumentando a velocidade das estocadas no seu cuzinho!

Eu percebi que estava quase prá gozar,porque as contrações do cuzinho dela
apertava muito forte meu cacete e também pela situação em si..
Entao parei de me mexer e fiquei apenas sentindo meu pau pulsar dentro dela..

eu fiquei com o pau duro apenas encostado na bunda dela..brilhando de tão duro.e pelo creme do sorvete..
-
Eu não aguentava mais...abri o cuzinho dela e empurrei tudo de uma vez..o cuzinho apertado dela parecia querer partir meu pau no meio..
Ao sentir o cuzinho todo preeenchido,.Eu nao consegui segurar mais e gozei logo depois..fartamente,urrando,berrando,xingando ela...apertando -a pela cintura de encontro a mim...sentindo minha porra esguichar..fiz menção de tirar mas ela não deixou, e disse:' deixa,fica assim".E ,sem deixar eu tirar o pau,ficamos de ladinho...

Então,com o meu pau enfiado no seu cú,ainda sporrando,Janete,começou a massagear sua xaninha,de vez em quando lambia os dedinhos,passava um pouco de saliva e foi enfiando um,depois dois dedos nela,fazendo movimentos de vai e
vem,continou esfregando o grelinho,gemeu,foi ficando vermelhinha,molinha e deu uma deliciosa gozada...Continuou com a siririca e gozou novamente..
 
Não me deixou tocá-la mais e saiu. Se vestiu,mesmo sem tomar banho e mandou eu me vestir,e disse:' vai,vou te levar prá casa'. Não sei explicar,mas eu a obedeci,me vesti,entramos no carro e ela não falou nada.Eu perguntei se ela tinha gostado de foder comigo,ela não respondeu.
Me deixou em casa e foi embora,não deu nem um sorriso,nem um beijinho no rosto.